quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Socristosalva.net

O site do Ministério Só Cristo Salva já está no ar em fase experimental!

Acesse e também curta uma super seleção de música gospel de primeira qualidade.

Seja bem vinvo ao www.socristosalva.net.

Programa Só Cristo Salva




Das 20h às 21h, desta sexta, acompanhe o programa Só Cristo Salva, na Rádio Difusora AM (1.170khz), de Mossoró/RN, com Carlos Skarlack e Michele Fonseca.

Quinta-feira, é dia de participação do Ministério Servos do Rei, com o evangelista Edvaldo Ribeiro e irmã Naldiana.




Henrique e Agripino definem nomes de futuros secretários de Rosalba, sem a presença de Carlos Augusto




Carlos Augusto não participa de reunião que define novos secretários de Rosalba


A blogueira Laurita Arruda, noiva do presidente da Câmara Federal, deputado Henrique Alves, PMDB, informa que ele vai se reunir desta quinta-feira, em Brasília, com o senador José Agripino, DEM.

E revela: “Mais nomes devem ser postos à mesa.Os ex-prefeitos Leonardo Rego e Junior Teixeira são alternativas com simpatia parte a parte desde o jantar bala de prata.”  

Quem diria que, no governo Rosalba Ciarlini, os nomes dos que vão compor o secretariado seriam definidos em, Brasília, por Henrique e Agripino, sem a presença do chefe da Casa Civil e marido da governadora, Carlos Augusto Rosado.

Coisas da política.



Candidatos Pedro Fernandes e Aldo Gondim conversam com jornalistas

524787_429852117097584_1567687770_n
Pedro Fernandes e Aldo Gondim recebem imprensa de Mossoró
Os candidatos a reitor e vice-reitor da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), professores Pedro Fernandes e Aldo Gondim, respectivamente, apresentaram sua trajetória de trabalho na instituição e suas propostas para o futuro da Universidade a jornalistas nesta quinta-feira (28).

Os presentes receberam a Carta Proposta dos candidatos e ouviram um pouco de suas trajetórias. O candidato a vice-reitor Aldo Gondim, professor da instituição há 26 anos, citou algumas lutas das quais participou em defesa do crescimento da UERN, como a reconhecimento do curso de Educação Física e a implantação do bacharelado em Educação Física. “Tenho muito orgulho da minha trajetória na UERN e por ter contribuído para que hoje a instituição fosse primordial para a formação de milhares de pessoas no interior do Rio Grande do Norte”, afirmou.

O candidato a reitor, professor Pedro Fernandes, que está na instituição há 15 anos, destacou a importância da UERN para o Estado do Rio Grande do Norte e seu crescimento nos últimos anos, em especial, no que diz respeito à realização de pesquisa. Ele ainda falou sobre os desafios a serem enfrentados, ressaltando as qualidades da instituição. “Temos muita coisa boa nessa instituição. Ninguém mais, além da UERN, está presente em todas as mesorregiões do Rio Grande do Norte. Nenhuma outra instituição pública oferece cursos de graduação em várias áreas, como saúde e educação, no interior do Estado. Nenhuma outra oferta cursos de mestrado em todas as áreas nesta região. Nossos egressos são os melhores profissionais que estão no mercado. Tudo isso é fruto do trabalho que está sendo feito por professores, técnicos e estudantes. O que queremos é continuar essa história vitoriosa, trazendo mais avanços para a UERN”, afirmou.

A Carta Programa dos professores Pedro e Aldo, com propostas para o ensino, pesquisa e extensão, bem como gestão de pessoas e infraestrutura, está disponível no www.pedroealdo.com.br. Os candidatos já assumiram o compromisso de, caso eleitos, registrarem o documento no Conselho Universitário para pautar toda a gestão nas propostas apresentadas na campanha à sucessão da Universidade do Estado do RN. 
 
 

Cláudia Regina assume presidência da AMORN


A prefeita de Mossoró, Cláudia Regina (DEM), assume amanhã a presidência da Associação dos Municípios do Oeste do Rio Grande do Norte (AMORN), em solenidade a ser realizada no Hotel Thermas, em Mossoró, a partir das 11h. Cláudia Regina foi eleita presidente por unanimidade, em janeiro deste ano. A governadora do Estado, Rosalba Ciarlini, confirmou presença na solenidade.
A associação tem importância estratégica para o desenvolvimento dos municípios da região Oeste do Estado. Em seu raio de atuação estão 49 municípios potiguares, respondendo por quase 1/3 da população do Rio Grande do Norte. Atualmente, 15 municípios estão associados à AMORN, mas após a escolha da prefeita para presidir a associação, diversos prefeitos demonstraram interesse de retomar a participação no grupo.
“Estamos cientes da responsabilidade e do desafio, mas queremos o apoio dos colegas prefeitos para contribuir com o desenvolvimento de toda a região. Buscando parcerias e mantendo uma discussão permanente sobre a solução de problemas graves nestes municípios poderemos reforçar o papel da região no desenvolvimento do Estado”, disse a prefeita.

Fonte:  Assessoria

Lairynho reafirma luta em prol de água para o Jucuri


Por:  Fábio Vale

“A luta é nossa, mas a conquista é de todos. O importante é que acabe a sede do povo.” Com essas palavras, o vereador Lairinho Rosado (PSB) reafirmou a sua defesa em prol do abastecimento de água para o Jucuri.

O edil ocupou a tribuna da Câmara Municipal de Mossoró na sessão desta quarta-feira (27) para tratar sobre sua luta pela comunidade.

Durante cerca de dez minutos, Lairinho tratou das conquistas e das metas com relação a implantação do sistema de abastecimento de água para o Distrito do Jucuri, localizado na zona rural de Mossoró. O vereador iniciou sua fala afirmando que a iniciativa é um sonho que vem se tornando realidade.

“Teve quem considerou o projeto como uma utopia, tentando desacreditar a iniciativa. Mas, uma parte do sonho já se realizou”, disse Lairinho, se referindo a etapa de perfuração do sistema de abastecimento de água no Jucuri. Ele lembrou que a conquista foi das deputadas Sandra e Larissa Rosado, federal e estadual, respectivamente; no final do ano de 2011.

Durante seu pronunciamento, o vereador também destacou que a luta ainda continua. “Mesmo muita gente torcendo contra, nós iremos continuar com empenho máximo. Irei à Brasília quantas vezes for necessário em busca dos recursos”, assegurou Lairinho, fazendo referência a sua mais recente ida à capital federal na semana passada para tratar do assunto.

“Vou comemorar muito quando ver o sistema funcionando plenamente”, acrescentou ele, enfatizando que a distribuição de água beneficiará o Jucuri e outras dez comunidades próximas. Na ocasião, vereadores parabenizaram a luta de Lairinho e das deputadas Sandra e Larissa em prol desse projeto.

Bateu, levou

Na ânsia de fazer média com a governadora Rosalba Ciarlini, o deputado federal João Maia, presidente do PR, foi deselegante com o deputado Vivaldo Costa.

Mostrou a porta de saída do PR, ao deputado estadual do Seridó.

Isto, foi ontem, pois, hoje, Vivaldo deu o troco.

“Quero dar uma resposta em respeito ao meu eleitor. Nunca precisei de autorização para falar. Falo representando 38 mil pessoas que votaram comigo na última eleição, falo em nome do povo do Rio Grande do Norte que me deu 11 mandatos. Nunca falei em nome de João Maia.
Então ele não me desautorizou porque nunca pedi autorização para falar em seu nome.
João Maia vá cumprir o papel dele que vou cumprir o meu de trabalhar pelo nosso povo.
Eu não falo nem por João Maia e nem pela governadora. Falo por mim mesmo, tenho o direito de falar depois de 40 anos de vida pública. Sou respeitado em todo lugar que chegar da capital ao interior,” declarou, Vivaldo.

Zé Dirceu em Natal



O ex-ministro José Dirceu, condenado como chefe da quadrilha do mensalão, estará em Natal.

Participa de debate promovido pelo PT, em encontro com o tema “O legado do governo Lula: oito anos que mudaram o Brasil”.

Será na Assembléia Legislativa, a partir das 19h.

Renúncia do Papa


'Não sou mais pontífice, mas um peregrino a mais', diz Bento XVI


Papa chega à sacada de Castel Gandolfo, último ato público do pontificado
A despedida do Papa

Papa chega à sacada de Castel Gandolfo, último ato público do pontificado
Cidade do Vaticano, 28 fev (EFE).- O papa Bento XVI afirmou nesta quinta-feira em discurso aos fiéis reunidos na praça de Castel Gandolfo, após deixar o Vaticano e em seu último ato público como líder da Igreja Católica, que já não é 'mais pontífice, mas um peregrino a mais'.
O pontífice, que chegou de helicóptero a Castel Gandolfo, cumprimentou os milhares de fiéis que lhe esperavam diante do Palácio Apostólico onde viverá em sua nova etapa como papa emérito.
'Estou muito feliz por estar aqui entre vocês, cercado da natureza e de vossa simpatia, pela qual agradeço, assim como por vossa amizade', disse o papa em meio a uma forte ovação e cânticos de 'viva o papa' e 'Bento, Bento'.
O Bispo de Roma ressaltou que hoje, o último dia de seu pontificado, é 'diferente dos anteriores'.
'Não serei mais o sumo pontífice da Igreja Católica às 20h (locais; 16h de Brasília). Serei um simples peregrino, que inicia a última etapa de sua peregrinação nesta terra', acrescentou o papa alemão, que teve um pequeno lapsus linguae (de idiomas) ao falar em italiano, improvisando.
'Quero continuar trabalhando com o coração, com meu amor, minha prece e minhas reflexões, pelo bem da Igreja e o bem comum da humanidade', afirmou.
Seu breve discurso foi interrompido em várias ocasiões pelos presentes, e muitos deles não puderam conter a emoção e começaram a chorar, sabedores de que era o último ato público de Bento XVI.

Deputados aprovam reajuste para professores do RN


Aprovado por unanimidade o Projeto de Lei Complementar que reajusta os vencimentos básicos dos professores e especialistas em Educação.

O aumento será de 7,97% e serão contemplados os professores e cargos de suporte como direção, administração, planejamento, inspeção, supervisão, orientação e coordenação. Com o reajuste o vencimento básico passa para R$ 1.175,27.
 
Os líderes partidários dispensaram a tramitação, para que a matéria fosse votada em regime de urgência. 
 
Com a aprovação, os vencimentos básicos dos cargos de professor e de especialista serão calculados de forma proporcional, com base no valor da hora-aula. As despesas decorrentes da implementação da Lei correrão por conta da Lei Orçamentária Anual (LOA).
 
Fonte:   Assessoria

Justiça inocenta Henrique

  1. RT : Venceu a tese de improcedência total do pedido formulado na peça do MP. O adv assinou a defesa dos PMDBistas...
  2. RT : TJRN acaba de reformar sentença na ação de improbidade contra Henrique e Garibaldi por propaganda eleitoral antecipada.
    O escritório do advogado Erick Pereira, através do microblog tuíte, informa que o Tribunal de Justiça do RN reformou sentença anterior que havia condenado o atual Presidente da Câmara Federal e o Ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, que teria pratricado propaganda eleitoral antecipada. 
     
    Fonte:  www.fatorrrh.com.br

Em Brasília todos com Henrique

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Álvares Vieira, teve uma agenda cheia em Brasília.

Na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), participou, juntamente com presidentes de Federações e classe política, do lançamento da campanha Zarpa Brasil! que estabelece melhorias para os portos brasileiros.

Também visitou gabinetes de secretários para definir pontos da política agrícola para o Nordeste.

Na CNA, defendeu a aprovação da Medida Provisória (MP) 595, que abre o sistema portuário ao capital privado.

Durante a reunião, na sede da Entidade, o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, o relator da MP, senador Eduardo Braga, líderes partidários e presidentes de confederações patronais debateram e aprovaram a campanha.

Fonte e foto: Assessoria

Renúncia do Papa - Artigo



Ele não queria ser bispo. Não queria ser Papa. Caiu-lhe no colo uma das piores crises da História da Igreja. Grande intelectual, ele não se trancou numa torre de marfim. Fez o que podia, muito ajudado pelas igrejas nacionais, como a dos Estados Unidos. A história do cardeal Mahony mostra que ainda não é o suficiente. Joga uma sombra sobre o conclave.

A Bento XVI restou decretar um tempo de purificação. Uma Igreja sob o signo da Quaresma. E isso vai durar muito tempo. Mas ele não ficou parado. Lançou as sementes para um novo tempo. Sai desprestigiado. Mais tarde, será visto com outros olhos.

O que ele quis fazer? No próprio bojo da crise, ir em busca do que é o “especificamente católico”. Que fica às vezes esquecido no dia a dia, quando a vida é confortável. Há uma força purgativa no sofrimento.

Qual foi o fio condutor da teologia do Papa Ratzinger? Dialogar com a Idade Moderna - que também vive uma imensa crise - e, ao mesmo tempo, remontar às origens. Recuperar o senso de aventura do cristianismo primitivo. Explicar que a mensagem cristã tem de ser um sim, e não um não.

E assim ele inverteu o estereótipo. Ele ia ser o Papa-rottweiler, o caçador de dissidentes. Não foi o que se viu. Ele não deixa de ser um conservador. Mas seu propósito central foi recuperar as bases da ortodoxia. Varrer o pó de séculos de controvérsias e de legalismo para descobrir as coisas que são capazes de dar sentido a uma vida.

A Europa, sobretudo, não sabe mais o que é o catolicismo. Segundo os clichês, seria um rígido sistema de regras e restrições, destinado a segurar uma instituição que desmorona.

Ratzinger contava outra história. Que ficou encoberta debaixo de uma nuvem de escândalos, ou de gafes, de alguém que é basicamente um professor, um scholar.

Mais algum tempo, e ele será visto de outra maneira. A quem ele estava se dirigindo? Ao profundo desejo do ser humano por algo de infinito, algo que vá além dele mesmo. É a intuição que dorme dentro de nós, que não precisa afrontar a ciência, mas que vai além da ciência.

Há aquela imagem da Bíblia, realista ou mitológica: a do jardim do paraíso, onde homem e mulher andavam sob a sombra de Deus. Esse estado paradisíaco vai sendo rompido, ao longo do tempo, pelo que existe em nós de desordenado, de excessivo, de violento. Mas ele pode tornar-se realidade, por exemplo, nas pessoas espiritualmente realizadas, pessoas em quem a gente encontra, nas palavras de São Paulo, “a paz que ultrapassa todo entendimento”.

Esta é a mensagem do Evangelho, e foi o que Bento XVI desfiou nas belíssimas homilias das quartas-feiras, no Vaticano. É a aventura cristã, um senso de romance como não existe outro. Chesterton tinha essa intuição - de uma realidade que é, ela mesma, um milagre, a que você pode ter acesso se não se deixar dominar totalmente pelas exigências do dia, por exigências descabidas em termos de conforto, de prazer, de poder e de riqueza.

E nesse contexto aparece o mistério da Igreja, que não é para ser uma superestrutura, uma superarquitetura, e sim o espaço onde se vive a experiência cristã, a experiência do outro, a comunhão dos santos. Igreja que não é do Papa, do bispo, do padre, e sim de todo o povo de Deus. Espaço para a vida sacramental, para o sacrifício da missa, que reencena um antigo mistério.

Tudo isso Bento XVI contou em seus livros, e no maior deles - a trilogia dedicada a Jesus de Nazaré. As chances são de que teremos agora um Papa mais pastor do que intelectual, mais hábil nas questões do dia a dia. Mas o Papa que sai, na sua postura não muito carismática, deixa uma herança que ajudará a Igreja nos tempos duríssimos em que ela está mergulhada.

Fonte:  www.oglobo.com

Renúncia do Papa


RIO - No último dia como chefe da Igreja, o Papa Bento XVI se reuniu com cardeais no Vaticano para o tradicional ritual de "beija-mão". No final da tarde desta sexta-feira, o religioso se despede da liderança da Igreja Católica, após anunciar sua renúncia em meados de fevereiro. No evento, ele conversou com colegas, sorriu em vários momentos e prometeu incondicional obediência ao próximo Papa e desejou que o religioso seja iluminado.
- Continuarei com vocês nos próximos dias. Prometo desde já minha incondicional obediência e reverência ao futuro Papa. Que o senhor mostra aquele que Ele deseja - afirmou o Papa Bento XVI.
Na introdução da cerimônia, o cardeal Angelo Sodano agradeceu o empenho do Pontífice pelo bem da Igreja e disse que "cumpriu-se um tempo de Deus".
- Gostaria de agradecer, as mesmas palavras comoventes que expressou ao povo sua Vossa Santidade, e que hoje se prepara para nos deixar. Cumpriu-se um tempo de Deus, com o advento de novos céus e novas terras, revivendo a experiência dos discípulos - afirmou Sodano.
A maior parte dos cardeais presentes no evento chegou recentemente ao Vaticano para participar do conclave que vai eleger o sucessor de Bento XVI. A cerimônia ainda não tem data marcada, mas deve ser iniciada na primeira metade do mês de março.
Após cumprimentar os cardeais, o Pontífice deve retornar a seu apartamento para preparar sua viagem a Castelgandolfo, residência de verão dos Papas católicos região do Lácio, na Itália. Ele permanecerá no local por dois meses e depois deve se mudar para um convento de clausura.

Fonte:  www.oglobo.com

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Campeonato Estadual: Baraúnas perde de virada; Potiguar só empata, mas fica com a vaga da Copa do Brasil


O resultado não foi dos melhores para o time do Baraúnas.  Após perder de virada, por 2 a 1, para o Palmeira-RN, que jogando em casa assegurou lugar na primeira divisão do Campeonato, ainda viu o Potiguar de Mossoró apenas empatar o jogo.

Além de vencer o time mossoroense, na noite desta quarta-feira, 27, o alviverde ainda se livrou do fantasma do rebaixamento. Os gols da equipe de Goianinha foram marcados por Nino e Galeguinho. Já Cristiano Alagoano marcou para o Baraúnas.

O time mossoroense já entra em campo no próximo domingo, 3, para enfrentar o Assu no Estádio Edgarzão. A partida é válida pela primeira rodada da Copa Rio Grande do Norte, o primeiro turno da segunda fase do Estadual 2013, e está marcada para as 17h. Já o Palmeira só voltar a disputar partidas oficiais no próximo ano.

POTIGUAR - Ao contrário do Baraúnas, o time 'Macho', apesar de apenas empatar em 1 a 1 com o Alecrim na noite de hoje (27), saiu vitorioso. O Potiguar de Mossoró é o primeiro clube do Rio Grande do Norte a garantir vaga na Copa do Brasil de 2014. Com esse resultado, o alvirrubro ficou com o segundo lugar da primeira fase do Estadual. Os gols foram marcados por Daniel, para o Potiguar, enquanto Bruno Recife balançou a rede para o Verdão.

O Potiguar volta a campo no domingo. O jogo, contra o ABC de Natal, acontece no Estádio Nogueirão, em Mossoró, pela primeira rodada da Copa Rio Grande do Norte, o primeiro turno da segunda fase do Estadual 2013.

OUTROS RESULTADOS - Campeão por antecipação, o time do Santa Cruz-RN fechou a primeira fase do Campeonato com mais uma vitória. Desta vez a vítima foi o Corintians-RN, derrotado pelo placar de 3 a 1.  A partida foi realizada no Estádio Iberezão, na cidade de Santa Cruz.

Após o jogo, os jogadores do Santa Cruz-RN receberam o troféu da Copa FNF, denominação da primeira fase do Estadual, e fizeram a festa com os torcedores. A conquista valeu também a classificação para a Copa do Brasil deste ano.

Os gols do Santa Cruz foram marcados por Erivelton, ex-ABC, o atacante Fabinho Recife e Alvinho. O gol de honra do Corinthians foi marcado por Ito Cruz.

Já o Assu, depois de três derrotas, conseguiu vencer o Potyguar por 2 a 1 nesta quarta-feira. A partida foi realizada no Estádio Edgarzão, na cidade de Assú. Com esse resultado, o time de Currais Novos volta para a segunda divisão do Campeonato Estadual.

Os gols foram marcados por Carlos e Rodriguinho para o Assu. Enquanto que Wilson marcou pelo Potyguar.

A segunda fase do Campeonato Potiguar será aberta no próximo domingo. O Santa Cruz joga em casa mais uma vez, contra o Alecrim. Já o Corintians encara o América-RN no Estádio Nazarenão, em Goianinha.

RODADA

Palmeira 2 X 1 Baraúna

Potiguar 1 X 1 Alecrim

Assu 2 X 1 Potyguar CN

Santa Cruz 3 X 1 Corinthians-RN

Violas no saco - Vicente Serejo

Ninguém, a não ser por clara e escancarada tradição fisiologista, pode compreender que mesmo agora os pemedebistas do Rio Grande do Norte insistam nesse modelo ardiloso que ainda imaginam impor como disfarce. Vendem dificuldades com declarações que ocupam as manchetes, ensaiam uma crise de afirmação e recuam com o biscoito que lhe haviam negado. Como se não fosse mais natural o partido usar a sua força ajudando o governo para o qual foi às ruas pedir o voto dos seus eleitores.

A dependência do governo tem levado historicamente os pemedebistas a um estranho exercício de peripécias, como se a Paz Pública tivesse deixado impresso em baixo relevo no peito de cada um a marca do governismo por adesão e não por conquista. O próprio Aluizio Alves, aquele que em sessenta fizera a revolução pelo voto, passou de bom feiticeiro a vítima do feitiço ao criar a Arena Verde como se fosse a contraposição da Arena Vermelha de Dinarte Mariz, mas acabou cassado pelos militares.

Desde o primeiro sol do verão parlamentares do PMDB ensaiam um afastamento do governo de Rosalba Ciarlini. E não se diga que a tarefa ficou no baixo clero partidário. O senador Garibaldi Filho declarou sua opinião favorável a um caminho próprio, assim como seu próprio filho, hoje aliados naturais dos petistas, e o presidente do partido, Henrique Alves, presidente da Câmara Federal, numa declaração que parecia competente, admitiu ser candidato a governador ou senador na eleição de 2014.

Era tudo jogo para despistar o verdadeiro objetivo. Não mudaram as razões, se eram nascidas do desempenho do governo. Nem os desejos pemedebistas de mais espaço no campo governamental. O governo sabia e os pemedebistas sabiam que o governo sabia. E numa reunião as promessas foram renovadas, agora sob a égide dos milhões que vão jorrar da cornucópia dos poderosos empréstimos ao Banco Mundial e Banco do Brasil, apascentando os liderados que imaginavam ter alguma influência.

Da receita a legitimar o jogo virá a nota do senador democrata José Agripino reunindo alguns postulados, num termo de conduta engendrado para servir ao fisiologismo que une e reúne o interesse de todos. O PMDB poderia ter exercido a dignidade de não ameaçar romper para ter novas benesses, afinal lutou pela eleição de Rosalba Ciarlini através do senador Garibaldi Filho e seu um milhão de votos. Não. Preferiu a barganha para conter o espasmo pela falta de mais cargos no governo estadual.

Não se pode afirmar que foi a batalha de Pirro, pois além de nada perder o PMDB só tem a ganhar a partir de agora. Resta saber até quando vale o lacre do acordo de cúpula, mesmo sabendo que os nossos pemedebistas são criativos inventando desculpas para romper ou ficar. Aos que declararam em nome do rompimento, mesmo alguns com a brandura de uma candidatura própria, resta guardar as suas violas no saco. E de lá só precisarão retirar quando o mastro ordenar. Agora a ordem é silenciar.

Fonte:  www.jornaldehoje.com.br

Secretaria de Recursos Hídricos também deverá receber a indicação de peemedebistas. Três nomes estão na cotação para assumirem o posto, sendo o mais provável deles o do engenheiro Paulo Varela, atual diretor-técnico da Agência Nacional de Águas (ANA). Ex-diretor-presidente da antiga Companhia de Desenvolvimento Mineral do Rio Grande do Norte (CDM/RN) e ex-secretário de Recursos Hídricos no governo Garibaldi Filho, Varela é descrito como “um grande quadro, um dos melhores”, na avaliação de um garibaldista.

Além dele, porém, outros dois nomes estão sendo analisados pela governadora Rosalba Ciarlini. Um é o do ex-deputado estadual Elias Fernandes (PMDB), ex-diretor-presidente do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS) e pai do atual deputado estadual Gustavo Fernandes (PMDB). Elias tem articulado em favor do seu nome, mas, pesa contra sua nomeação a centena de processos que tramitam contra ele na Justiça, oriundos da época que ele geriu o DNOCS.

Além disso, um episódio político da década de 90, envolvendo o então deputado Carlos Augusto Rosado, hoje secretário-chefe do Gabinete Civil do governo do Estado, teria cristalizado um distanciamento entre ambos. Naquela época, Carlos Augusto precisou se ausentar por mais de 90 dias do plenário em razão de tratamentos de saúde e Elias, também deputado, entrou com pedido de cassação do mandato dele. O mandato de Carlos Augusto foi salvo por um parecer do então deputado Leonardo Arruda. A Assembleia era presidida, à época, pelo deputado José Adécio (DEM).

Um terceiro nome foi sugerido pelo PMDB para a pasta de Recursos Hídricos. Trata-se de Luiz Carlos da Silva, ex-Cosern e ex-DNOCS, onde atuou com Elias Fernandes. Mais conhecido como Lucala, é amigo de infância de Henrique, “jogava futebol de salão com ele”. Segundo um amigo comum, porém, embora boa pessoa, Lucala não tem experiência administrativa.
Fonte:  Blog de Alex Viana

Rosalba não disputará o Governo do Estado


A governadora Rosalba Ciarlini (DEM) poderá desistir da reeleição e apoiar um peemedebista para o governo do Estado. Este teria sido o principal argumento da governadora para convencer o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB), e o ministro Garibaldi Filho (PMDB), a não romperem com o governo. Em troca do apoio dela a um peemedebista, o PMDB apoiaria Rosalba para o Senado, devolvendo a ela o mandato que já foi dela e que hoje pertence ao senador Garibaldi Alves (PMDB), pai do ministro da Previdência.

Essa foi a grande cartada de Rosalba e Carlos Augusto para esfriar o ímpeto de rompimento dos peemedebistas, que, pressionados pela aliança nacional do PMDB com o PT, caminhavam – ou caminham – para um afastamento político do DEM potiguar. Fato tão forte este de admitir abrir mão de disputar o governo e apoiar um peemedebista, que fez com que Garibaldi refluísse da entrega dos cargos que tem no governo, conforme ele mesmo propôs na reunião da última segunda-feira.

No entanto, Rosalba só não será candidata se a reeleição dela for inviável, conforme apontam as tendências constatadas em pesquisas recentes. Neste caso, a prioridade seria ela apoiar Garibaldi para o governo. Este, duas vezes governador, disse não ter interesse. O segundo da fila seria o presidente da Câmara, Henrique Alves, que analisaria o momento. Por fim, não sendo Garibaldi ou Henrique, Rosalba apoiaria o deputado estadual Walter Alves (PMDB). Em toas as hipóteses, Rosalba seria candidata ao Senado.

Em troca, o PMDB assume o compromisso de ajudar o governo Rosalba a se recuperar do desgaste administrativo. Assim, Henrique e Garibaldi vão atuar em Brasília, junto ao governo do PT, para viabilizar Rosalba, com obras federais, emendas parlamentares e convênios com os ministérios.

Fonte:  O Jornal de Hoje

PMDB começa ocupação do Governo Rosalba e indica secretário da Agricultura

Começa a ocupação do Governo Rosalba Ciarlini, pelo PMDB.

De acordo com a jornalista Thaisa Galvão, em seu blog, o presidente estadual do partido, deputado federal Henrique Eduardo Alves, indicou o novo secretário de Agricultura, Júnior Teixeira.

O novo secretário é ex-delegado do Ministério da Agricultura e ex-prefeito de Serrinha.

Ricardo Mota defende fim dos 14º e 15º salários dos deputados estaduais

 O presidente da Assembleia Legislativa,  deputado Ricardo Motta (PMN), propôs, na sessão de hoje, a extinção da ajuda de custo aos parlamentares.

A AL potiguar segur segue a proposta da Câmara Federal.

A verba é paga no início e no fim de cada período legislativo e correspondente a um subsídio.


O presidente vai apresentar formalmente a proposta à Mesa Diretora e aos líderes para que seja encaminhado um Projeto de Resolução com a mudança.

Ricardo Motta recebeu o apoio dos colegas que estavam no plenário.

Fernando Mineiro (PT) parabenizou a iniciativa e o deputado Kelps Lima (PR) destacou positivamente a ação em consonância com o Congresso Nacional.

“Estaremos prontos para votar essa medida que vem ao encontro do que deseja a população do nosso Estado”, disse Hermano Morais (PMDB).

 “Nossa Casa haverá de trilhar pelo mesmo caminho e temos que olhar para a realidade do País e a realidade do nosso Estado”, disse o presidente.

Fonte:  www.thaisagalvao.com.br

Câmara Federal acaba farra dos 14º e 15º salários


Deputados aprovaram projeto que acaba com a ajuda conhecida como 14º e 15º salários.
O Plenário aprovou nesta quarta-feira, por unanimidade, o Projeto de Decreto Legislativo 569/12, que acaba com o pagamento de ajuda de custo aos parlamentares no início e no fim de cada ano (sessão legislativa). Essa ajuda é conhecida como 14º e 15º salários. A matéria vai a promulgação.

O texto, de autoria do Senado, mantém os pagamentos apenas para o primeiro e o último mês dos mandatos (quatro anos para deputados e oito anos para senadores) para custear despesas com mudança. No caso dos deputados do Distrito Federal, apesar do direito, a bancada já tem abrido mão do benefício.

As ajudas de custo foram criadas pela Constituição de 1946, quando a capital era ainda no Rio de Janeiro, com o objetivo de custear as viagens, que eram mais difíceis naquela época. A partir da Constituição de 1988, não constou mais no texto a referência à ajuda, que passou a ser disciplinada em legislação infraconstitucional.

Várias propostas para acabar com o benefício já haviam iniciado tramitação tanto na Câmara quanto no Senado. Em 2006, por exemplo, com a mudança no sistema de convocação extraordinária do Congresso no recesso parlamentar, o Decreto Legislativo 1/06 acabou com o pagamento das ajudas de custo nessas convocações, que passaram a ser mais raras.

O projeto aprovado nesta quarta é de autoria da senadora licenciada e atual ministra-chefe da Casa Civil, Gleise Hoffmann, e foi aprovado pelo Senado em maio de 2012.

Apoio dos partidos
O fim da ajuda de custo foi uma das promessas de campanha do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, que negociou a aprovação unânime da proposta. No momento da votação, o painel eletrônico registrou a presença de 476 deputados.

Líderes de todos os partidos se manifestaram em Plenário a favor do projeto. O líder do PPS, deputado Ruben Bueno (PR), lembrou que nenhum trabalhador tem esse benefício e que, ao aprovar a proposta, “os deputados se reencontram com as pessoas que trabalham no Brasil”.

O deputado Silvio Costa (PTB-PE) disse que o benefício de um 14º e 15º salários se tornou insustentável, e a medida reaproxima a Câmara da opinião pública. “Mas não vamos deixar que alguns apareçam mais, defendendo a medida, porque todos receberam esses recursos”, disse.

Gustavo Lima / Câmara dos Deputados

Henrique Eduardo Alves negociou a aprovação unânime da proposta.
O relator da proposta pela Mesa Diretora, deputado Marcio Bittar (PSDB-AC), afirmou que a votação desta quarta-feira mostra que a Câmara quer se aproximar da população. “Prometemos durante a campanha e, agora, estamos tentando levar adiante esses compromissos”, disse Bittar, que é 1º secretário da Câmara.

Mudança
O deputado Inocêncio Oliveira (PR-PE) explicou que a ajuda de custo foi necessária no passado porque os deputados se mudavam uma vez por ano com suas famílias de volta para seus estados. O recesso parlamentar de fim de ano era de 16 de dezembro a 14 de fevereiro. “Como as coisas avançaram e, até mesmo, o recesso diminuiu, não há mais necessidade desse pagamento”, disse.

A líder do PCdoB, deputada Manuela D’Ávila (RS) lembrou que o projeto do Senado foi votado apenas para acelerar o processo, porque a Câmara já tinha um projeto para extinguir a ajuda de custo, apresentado pelo então presidente da Câmara, Aldo Rebelo, que é deputado licenciado e atual ministro do Esporte.

O deputado Manato (PDT-ES) lembrou que, em legislaturas anteriores, os deputados extinguiram o jeton, um pagamento feito em caso de convocações extraordinárias dos parlamentares, e reduziram o recesso parlamentar. “Fico orgulhoso de ter participado desses dois momentos do Parlamento”, disse.

Vários deputados que devolviam esses recursos ou indicavam instituições para recebê-los em seu lugar comemoraram a aprovação em Plenário da proposta.

Orçamento impositivo
Alves pediu aos deputados e ao futuro presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) que aprovem a admissibilidade das PECs que tratam do orçamento impositivo das emendas parlamentares, outra de suas promessas. “Vamos instalar uma comissão especial para, em 45 dias, termos um entendimento sobre o assunto”, disse.

A medida recebeu o apoio do PSDB. O deputado César Colnago (PSDB-ES) acrescentou que, no processo de discussão das emendas parlamentares, é preciso ficar claro que instituições em que haja parentes de deputados não podem receber os recursos destinados por eles.

Já o deputado Ivan Valente (PSol-SP) cobrou outra medida exigida pela opinião pública, o fim do voto secreto nas votações, que também já foi aprovado pelo Senado. “É uma vergonha que o Senado tenha aprovado isso, e nós deixamos o assunto dormir”, disse.