domingo, 30 de junho de 2013

Especial

COMPORTAMENTO

Nos bastidores da cura gay

A reportagem de VEJA SÃO PAULO percorreu dez igrejas evangélicas da capital para saber o que os pastores pregam sobre a homossexualidade
<p> A "cura gay" nos templos da fé</p>

Na semana passada, VEJA SÃO PAULO ouviu frases como essas em um périplo por dez igrejas evangélicas da metrópole, das mais variadas vertentes. Sem se identificar como jornalista, o repórter bateu às portas de cada uma dizendo que era um homossexual disposto a tentar uma nova vida. O objetivo era saber como essa questão é tratada no dia a dia dessas religiões. Em outras palavras: afinal, a tão falada “cura gay” existe na prática?

Detalhes no site www.socristosalva.net

Brasil é campeãooooooo -


A atual campeã mundial e bicampeã europeia teve de se render no Rio de Janeiro. E bailou diante de uma Seleção Brasileira de atuação implacável, neste domingo, no Estádio do Maracanã. Dono da partida desde o gol de Fred a 2 minutos de jogo, o Brasill massacrou a Espanha com 3 a 0 e conquistou a Copa das Confederações, de modo irretocável, pela quarta vez na história. Com cinco vitórias em cinco jogos disputados.

Nos almanaques que registrarão o título constará uma atuação defensiva de grande solidez, especialmente de David Luiz, Luiz Gustavo e Paulinho. Neymar, autor do mais belo gol da partida, também ficará marcado pela assistência perfeita de corta-luz para Fred, o mais decisivo diante da Espanha. Autor de dois gols e artilheiro da competição com cinco gols ao lado de Fernando Torres, mas sem ter enfrentado o Taiti.

Com 73.531 torcedores presentes, o Maracanã também fez sua parte e com brilho. O público participou do início ao fim: cantou o Hino Nacional antes e durante a partida, provocou a arbitragem, os espanhóis e até Shakira, de nome gritado quando Piqué foi expulso por falta violenta em Neymar. Claro, também gritou "campeão" e "olé", este último quando o placar ainda marcava 1 a 0.

Fonte:  www.terra.com.br

Dilma e Marina

E a presidente Dilma Rousseff bota os pés no chão e pára de voar em céu de brigadeiro.
O que poderia ser uma reeleição tranquila para a petista, começa a enfrentar obstáculos.
Tudo depois da ida do povo às ruas do Brasil.
Resta saber se, passada a euforia das ruas, a presidente vai recuperar seu fôlego…ou se o clima anti-política dos brasileiros vai continuar até a campanha do próximo ano.
Depois da queda da popularidade da gestora, a pesquisa Datafolha também mostrou a queda na preferência eleitoral.
Leia reportagem da Folha Online:

Dilma perde apoio e enfrentaria segundo turno em 2014, diz Datafolha

Após três semanas de manifestações, a taxa de intenção de votos da presidente Dilma Rousseff caiu até 21 pontos percentuais. Embora ainda lidere a disputa de 2014, Dilma é a pré-candidata que mais perdeu apoio na corrida presidencial e a queda indica que hoje ela teria de enfrentar um segundo turno.
O cenário hoje mais provável para a sucessão inclui Dilma, Marina Silva (Rede), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB).
Nessa simulação, a petista tinha 51% das intenções de voto nos dias 6 e 7 deste mês. Agora, desceu para 30%. Esse é o mesmo percentual da aprovação de seu governo, apurada no mesmo levantamento e divulgada neste sábado (29) pela Folha.
Nesse mesmo cenário, Marina Silva subiu de 16% para 23%. Aécio Neves foi de 14% para 17%. Campos oscilou de 6% para 7%. Nessa hipótese, seria realizado um segundo turno entre a petista e Marina.
O Datafolha foi à ruas na quinta e na sexta-feira. Entrevistou 4.717 pessoas em 196 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
Leia na edição da Folha deste domingo outros cenários da pesquisa Datafolha, incluindo o antecessor de Dilma, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. (FERNANDO RODRIGUES)



Marina Silva já está à frente no Sudeste e entre jovens

Quando se faz um recorte na taxa de intenção de voto de Dilma Rousseff para presidente (29% a 30%, segundo o Datafolha), nota-se que a presidente se sustenta com base em eleitores do Nordeste, mais velhos, menos instruídos e os que vivem no interior.
O cenário ainda mais provável para a sucessão de 2014 inclui Dilma, Marina Silva (Rede), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Eles pontuam 30%, 23%, 17% e 7%, respectivamente.

Mas veja o que acontece com os 30% Dilma Rousseff quando se estratifica o resultado:

Região: a presidente tem 45% no Nordeste contra apenas 22% no Sudeste, 27% no Sul e 28% no Norte/Centro-Oeste;
 Natureza do município: Dilma tem 24% em capitais e regiões metropolitanas e 34% em cidades do interior;
Idade: a petista tem 33% entre os eleitores de 60 anos ou mais e 27% na faixa de 16 a 24 anos;
 Escolaridade: Dilma tem 38% dos votos dos eleitores com ensino fundamental, mas só 19% daqueles que têm curso superior;
Renda familiar mensal: a presidente recebe o apoio de 36% da faixa até 2 salários mínimos e 19% no grupo que recebe mais de 10 salários mínimos.
O que tudo isso significa? Que o voto de Dilma Rousseff é bem menos homogêneo do que foi em levantamentos passados. E que os apoios estão no estrato do eleitorado que até hoje mais se beneficiou das políticas sociais petistas.

Nesse cenário (a petista contra Marina, Aécio e Campos), Dilma Rousseff já perde numericamente para Marina Silva no Sudeste (24% a 22%) e no Norte/Centro-Oeste (30% a 28%). A diferença percentual nesses casos está dentro da margem de erro, mas ainda assim é um sinal inédito para a presidente no atual ciclo eleitoral.

Entre os jovens de 16 a 24 anos, Marina Silva tem 31% contra 27% de Dilma.

No caso dos eleitores com nível superior, a diferença é grande: Marina vaia 33% contra apenas 19% de Dilma.

Eis as tabelas do Datafolha com todos esses dados (clique na imagem para ampliar) apurados no levantamento de 27 e 28 de junho, com 4.717 pessoas em 196 cidades país (e margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos).

Fonte:  www.uol.com.br

sábado, 29 de junho de 2013

Marcha para Jesus em São Paulo

Marcha para Jesus 
Milhares de pessoas foram às ruas neste sábado durante a 21ª edição da Marcha para Jesus, evento que acontece anualmente na capital paulista, promovido pela igreja Renascer, e que reúne fiéis de várias igrejas evangélicas. Nesta edição, porém, boa parte dos participantes incorporou os temas abordados nas últimas semanas nas ruas e, assim como nos protestos que acontecem em várias cidades brasileiras, carregavam cartazes pedindo melhora na qualidade dos serviços públicos, como saúde, educação e transporte.

Confira os detalhes no site www.socristosalva.net 

Início do fim?

1ae48 Queda recorde de popularidade faz com que Dilma Rousseff desista de ir ao Maracanã amanhã. Só Collor caiu mais do que ela. Está rompido o protocolo da Fifa. Taça deveria ser entregue pela presidente. A notícia incentiva os manifestantes a fazer protesto recorde aqui no Rio...

Por:  Carlos Rímoli
Queda recorde de popularidade faz com que Dilma Rousseff desista de ir ao Maracanã amanhã. Só Collor caiu mais do que ela. Está rompido o protocolo da Fifa. Taça deveria ser entregue pela presidente. A notícia incentiva os manifestantes a fazer protesto recorde aqui no Rio…

Rio de Janeiro...

Membros da Fifa já haviam classificado informalmente.

Foi a mais deprimente abertura de um torneio da entidade.

Em toda a sua história.

As vaias a Blatter e Dilma Rousseff foram impiedosas.

Foram mais de 70 mil pessoas mostrando sua indignação aos dois.

Nunca em torneio algum da Fifa, o presidente do país organizador foi humilhado.

O evento foi transmitido para todo o mundo.

Blatter pediu respeito e 'fair play' aos torcedores com a presidente.

Conseguiu só aumentar ainda as vaias.

Dilma iria fazer um pequeno discurso.

Mas diante das vaias ensurdecedoras, teve bom senso.

E se permitiu falar a frase obrigatória.

"Declaro oficialmente aberta a Copa das Confederações Fifa 2013."

As vaias atingiram seu volume máximo.

Ela não falou mais nenhuma palavra.

Os organizadores se apressaram e colocaram o hino do Japão.

Só assim as vaias acabaram.

Dilma ficou arrasada.

Blatter não sabia o que fazer.

Não esperava essa reação do povo brasileiro, conhecido como pacífico.

Nestas duas semanas houve manifestações por todo o país.

As imagens do vandalismo também correram o mundo.

Blatter foi, espertamente, para a Turquia.

Só voltou para as semifinais e final.

Mas sempre chegando aos estádios de helicóptero...

*Confira este artigo na íntegra http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli/queda-recorde-de-popularidade-faz-com-que-dilma-rousseff-desista-de-ir-ao-maracana-amanha-so-collor-caiu-mais-do-que-ela-esta-rompido-o-protocolo-da-fifa-taca-deveria-ser-entregue-pela-presidente-29062013/AQUI


Calor do asfalto ‘derrete’ Dilma e reabre 2014

Por:  Blog do Josias
Digamos que há três semanas Dilma Rousseff tinha fama de gerentona, 57% de popularidade, uma coligação gigantesca, uma reeleição garantida e um padrinho chamado Lula. A situação dela agora é a seguinte: precisa verificar, urgentemente, o que Lula vai fazer quando voltar de sua viagem à África. Ele pode ser a única coisa que lhe resta.

O Datafolha informa que a popularidade de Dilma desabou 27 pontos percentuais em três semanas –de uma altura de 57%, despencou para 30%. E pensar que em março ela colecionava 65%! O último presidente a viver a experiência de um mergulho tão radical foi Fernando Collor. Entre março e junho de 1990, a popularidade dele ruiu 35 pontos –de 71% para 36%.

No caso de Collor, a explicação estava na cara: o confisco da poupança. No caso de Dilma, não há explicações peremptórias. Há no máximo duas probabilidades: o asfalto e a inflação. Se as ruas ensinaram alguma coisa na última quinzena foi que a irritação e a cobrança já não admitem ficar trancadas no Facebook.

Quanto à economia, relatório divulgado nesta semana pelo BC rebaixou a previsão do PIB anual e e elevou a da inflação. E o eleitor, agora tomado de rigores insuspeitados até bem pouco, grita nas esquinas. De acordo com o Datafolha, caiu de 49% para 27% a avaliação positiva da gestão econômica de Dilma.

Assim, a não ser que ocorra o milagre da combinação de um PIBão com uma carestia mixuruca, a vida de Dilma dificilmente voltará a ser como antes. Hoje, se dependesse da vontade da maioria do PT, o candidato do partido à Presidência da República se chamaria Lula.

Antes do tsunami de protestos, a especulação sobre uma eventual derrota de Dilma em 2014 era um desafio à lógica. Era algo equivalente a uma previsão de que o Brasil, jogando no Maracanã, perderia para a seleção do Taiti um jogo em que o juiz seria o Felipão.

O despertar das ruas –na verdade um bocejo de gigante que levou a felicidade do petismo junto com o ar— teve um quê de punição antecipada. Mostrou a Dilma e Lula que a arrogância não é boa conselheira. E informou ao PT que o meio-fio não tem dono.

A elevação da temperatura das ruas produziu em Dilma uma espécie de meltdown –termo incorporado pelo economês na década de 90 para simbolizar a situação de uma economia que desanda e começa a derreter. Mal comparando, pode-se dizer que Dilma está derretendo. O que faz de 2014 uma janela de oportunidades

Fonte:  www.uol.com

Ministro do Supremo manda governadora Rosalba pagar os extras referentes ao terço da hora


Por: Anna Ruth

A última ficha do Governo para não cumprir a determinação do desembargador Carlos Santos na ação do terço de hora/atividade foi derrotada. O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello não aceitou o recurso do Governo que pedia a inconstitucionalidade da medida.

Com isso, está mantida a determinação para o Governo do Estado pagar as horas extras aos professores, no valor de quatro horas semanais.

O Assessor Jurídico do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, Carlos Gondim, explica que o Governo não tem mais a quem recorrer para não pagar as horas extras aos educadores que são obrigados a trabalharem em sala de aula no terço da jornada que deveria ser usado para planejamento e demais atividades extraclasse.

Para a coordenadora geral do Sinte-RN, professora Fátima Cardoso, a decisão do ministro Marco Aurélio “acaba ajudando no resgate da imagem da Justiça Potiguar que vem sendo cotidianamente manchada pelo desrespeito às determinações por parte do Governo Rosalba Ciarlini”.

Fonte:  www.tribunadonorte.com.br

Dilma repete façanha de Collor

Por:  Reinaldo Azevedo
Dilma repete façanha de Collor: a aprovação a seu governo despenca 35 pontos em três meses — 27 pontos em três semanas; hoje, só 30% o consideram bom ou ótimo; índice de ruim-péssimo chega a 25%. Então Dilma já era?

O prestígio da presidente Dilma Rousseff teve uma queda de 27 pontos percentuais em três semanas, segundo pesquisa Datafolha, publicada na Folha neste sábado. Apenas 30% das pessoas ouvidas consideram o governo “bom” ou “ótimo” — na primeira semana deste mês, eram 57%; em março, 65%. Em três meses, pois, a queda foi de estupendos 35 pontos. Só um governante antes dela repetiu tal façanha: Fernando Collor. E olhem lá. Imediatamente antes da posse, 71% tinham a expectativa de um governo bom ou ótimo. Em junho, depois do confisco da poupança, esse índice caiu para 35% — ainda assim, cinco pontos acima do número alcançado por Dilma. E olhem que ela não confiscou a poupança de ninguém. O que isso diz sobre o futuro? Já chego lá. Antes, algumas considerações.

Estão arrependidos?
Se arrependimento matasse, alguns petistas e esquerdistas associados (MAS NÃO TODOS, JÁ DIGO POR QUÊ) não veriam nascer a luz do sol neste sábado. Fizeram mau negócio ao tentar estimular o caos em São Paulo já naquele fatídico 13 de junho, o dia do pior confronto entre a Polícia Militar e manifestantes, que já haviam, sim, recorrido à violência em três manifestações anteriores, a primeira ocorrida no dia 6. No dia 11, por exemplo, coquetéis molotov foram jogados contra os policiais. Estações de metrô tinham sido depredadas. No próprio dia 13, sem nem mesmo dar um telefonema ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), o ministro da Justiça, José Eduardo Cadozo, oferecia uma hipócrita “ajuda” a São Paulo. No dia seguinte, ele e outros petistas, como Fernando Haddad — prefeito que havia reajustado a tarifa de ônibus — engrossaram o coro da imprensa contra a “repressão”. Os petistas mobilizaram a sua tropa nas redes sociais para demonizar a PM de São Paulo. E se começou a falar, então, de uma megamanifestação na segunda-feira, dia 17. Algo começava a sair do script quando se percebeu que o resto do país também se mobilizava. No dia marcado, 65 mil marcharam em São Paulo. O Rio pôs 100 mil pessoas na rua. Algo estava fora da ordem e do controle — inclusive dos coxinhas radicais do Passe Livre.

Com a garantia dada pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo de que a cidade era território livre — desde que não houvesse depredação —, criou-se o ambiente “occupy” o que lhe dá na telha. E esse ambiente tomou o país. Insatisfações represadas ao longo de muitos anos — afinal, os canais de representação social foram comprados pelo PT, e as oposições sempre foram tímidas em mobilizar a resistência ao lulo-petismo — foram às ruas: corrupção, saúde e educação precárias, gastos excessivos com a Copa do Mundo… O governo federal se tornou o alvo principal dos protestos. E é explicável que assim seja. Ao longo de 10 anos, os governos petistas se quiseram os monopolistas do bem e da virtude e se apresentaram como os garantidores da felicidade geral. Afinal, se podiam tanto, por que não fizeram? A redução das tarifas do transporte público acabou se perdendo apenas como uma das reivindicações. E não! Definitivamente, as manifestações não eram pacíficas. “Ah, mas a maioria…” A maioria era pacífica até na Revolução Russa!

Eis aí… Nem nos seus temores mais secretos, a presidente Dilma e os petistas da sua turma poderiam imaginar que um protesto contra tarifa de transporte — assunto municipal ou estatual — fosse a centelha a fazer explodir o paiol em que estavam armazenas as insatisfações as mais variadas. Se pudessem voltar atrás, Haddad, Cardozo, a rede petralha e todos aqueles que atuaram para leva o casos às ruas de São Paulo fariam outra coisa. Mas isso não é possível.

Economia
Os protestos tiveram um efeito devastador na avaliação de Dilma, mas eles só se difundiram porque há insatisfações, e a principal é com a economia. Informa a Folha: “A expectativa de que a inflação vai aumentar continua em alta. Foi de 51% para 54%. Para 44% o desemprego vai crescer, ante 36% na pesquisa anterior. E para 38%, o poder de compra do salário vai cair – antes eram 27%.”

A insatisfação com Dilma, como os protestos, se espalha pelo país. Sua aprovação caiu mais de 20 pontos em todo o país.

Então Dilma já era? E o fator Lula
Então Dilma já era? Ela e o PT já podem ir fazendo as malas? É muito cedo! Terá o Datafolha feito também uma pesquisa eleitoral? Vamos ver. É bom lembrar que, em dezembro de 2005 — ano do mensalão — a aprovação de Lula era de apenas 28%, Inferior, ainda que na margem de erro, aos 30% de Dilma. Onze meses depois, ele se reelegeu presidente da República. Assim, é um pouco cedo para dizer.

O Datafolha fez uma pesquisa, com margem de erro enorme, de 4 pontos percentuais, só entre os manifestantes da passeata realizada no dia 20 em São Paulo. Joaquim Barbosa liderou as intenções de voto para presidente, com 30%. Marina Silva ficou em segundo, com 22%. A presidente Dilma ficou com 10%. O tucano Aécio Neves foi citado por 5%, e Eduardo Campos, do PSB, por 1%.

Apoio ao plebiscito
Ainda que eu duvide que a esmagadora maioria saiba do que se trata exatamente — até porque nem o meio político sabe —, o Datafolha apurou que 68% dos entrevistados apoiam o plebiscito da reforma política, ideia lançada pela presidente. A questão é saber como operacionalizar isso. Se existe o endosso, cria-se uma franja de contato com a opinião pública.

A situação de Dilma, hoje, é muito difícil. Franklin Martins voltou a ser um interlocutor frequente. Ele assumiu a área de comunicação do governo Lula em 2007. Teve início, então, um trabalho agressivo de demonização da imprensa e da oposição. Ambas passaram ser tratadas como aliadas (o que era e é falso) e golpista. Montou-se uma grande rede de apoio ao governo na Internet, capitaneado por sites e blogs financiados por estatais. Franklin deixou pronta uma proposta de “controle social da mídia”, que Dilma engavetou. Sabe-se lá que conselho ele está dando para a soberana. Coisa boa não deve ser.

O fator Lula
Antes dessa pesquisa, o coro “volta, Lula” já não era nada discreto no PT. Vai se fazer mais audível depois desses números. Como já informei aqui, há gente na cúpula do próprio governo dizendo que “Dilma já era!”. São, é evidente, lulistas entusiasmados. É claro que ele voltou a ser o que não era em março, quando ela tinha 65% de aprovação: pré-candidato a presidente em 2014.

Se isso acontecesse, seria fácil vencer desta vez? Ora, resta evidente que Dilma é cria de Lula. Todos os eleitores sabem disso. É de supor que a reputação do Apedeuta, nesses embates, também tenha sido abalada. Em que medida? Ainda não há pobres na rua, embora se deva supor, pelos números, que há muitos descontentes.

Cuidado com a volatilidade
Os números têm de ser vistos com cuidado — e não estou desconfiando, como nunca desconfiei, do rigor técnico da pesquisa. O cuidado é de outra natureza: é claro que há nesse levantamento opiniões ainda não consolidadas. Em três semanas, não aconteceu nada de tão formidável que justifique mudança tão radical de humor. “Três semanas, Reinaldo? É coisa dos últimos 10 anos!” Pode ser; o fato é que os brasileiros eram livres para se manifestar e não o fizeram, certo?

Os petistas caíram na própria arapuca. Vamos ver como vão tentar sair dela.

Fonte:  www.veja.com.br

No Uol.com.br

Arte UOL
Ilustração do uol 
Escuta Essa! Pulando a fogueira na 'quadrilha' do Congresso

O Escuta Essa! desta semana mostra que o Congresso Nacional reagiu às manifestações nas ruas com uma espécie de mutirão de votação de projetos que vinham pautando os gritos dos manifestantes. Entre as votações feitas na Câmara dos Deputados está a que derrubou a PEC 37 e a que escolheu que 75% dos royalties do petróleo devem ir para a educação, enquanto o restante vá para a saúde. Já o Senado Federal votou lei que faz da corrupção um crime hediondo, o que havia sido pedido pela presidente Dilma Rousseff em reunião no início da semana com prefeitos de capitais e governadores. Edição: Ana Paula Rocha. Finalização: Bruno Landim Pedersoli.

Fonte: www.uol.com.br

Popularidade de Dilma cai 27 pontos após protestos

Pesquisa Datafolha finalizada ontem mostra que a popularidade da presidente Dilma Rousseff desmoronou.

A avaliação positiva do governo da petista caiu 27 pontos em três semanas.

Proposta de plebiscito tem apoio de 68%

Hoje, 30% dos brasileiros consideram a gestão Dilma boa ou ótima. Na primeira semana de junho, antes da onda de protestos que irradiou pelo país, a aprovação era de 57%. Em março, seu melhor momento, o índice era mais que o dobro do atual, 65%.

A queda de Dilma é a maior redução de aprovação de um presidente entre uma pesquisa e outra desde o plano econômico do então presidente Fernando Collor de Mello, em 1990, quando a poupança dos brasileiros foi confiscada.

Naquela ocasião, entre março, imediatamente antes da posse, e junho, a queda foi de 35 pontos (71% para 36%).

Em relação a pesquisa anterior, o total de brasileiros que julga a gestão Dilma como ruim ou péssima foi de 9% para 25%. Numa escala de 0 a 10, a nota média da presidente caiu de 7,1 para 5,8.

Neste mês, Dilma perdeu sempre mais de 20 pontos em todas regiões do país e em todos os recortes de idade, renda e escolaridade.

O Datafolha perguntou sobre o desempenho de Dilma frente aos protestos. Para 32%, sua postura foi ótima ou boa; 38% julgaram como regular; outros 26% avaliaram como ruim ou péssima.

Após o início das manifestações, Dilma fez um pronunciamento em cadeia de TV e propôs um pacto aos governantes, que inclui um plebiscito para a reforma política. A pesquisa mostra apoio à ideia.

A deterioração das expectativas em relação a economia também ajuda a explicar a queda da aprovação da presidente. A avaliação positiva da gestão econômica caiu de 49% para 27%.

A expectativa de que a inflação vai aumentar continua em alta. Foi de 51% para 54%. Para 44% o desemprego vai crescer, ante 36% na pesquisa anterior. E para 38%, o poder de compra do salário vai cair --antes eram 27%.

Os atuais 30% de aprovação de Dilma coincidem, dentro da margem de erro, com o pior índice do ex-presidente Lula. Em dezembro de 2005, ano do escândalo do mensalão, ele tinha 28%.
Com Fernando Henrique Cardoso (PSDB), a pior fase foi em setembro de 1999, com 13%.

Em dois dias, o Datafolha ouviu 4.717 pessoas em 196 municípios. A margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos (RICARDO MENDONÇA)

Fonte:  UOL.COM.BR

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Programa Só Cristo Salva lançará a música Espirito Santo com participação de Kzam Nery

Kzam Nery, Gideão, Gleferson Lima e eu no GF Stúdio - Foto:  Karla Viegas 

Nesta sexta-feira, 28, no programa Só Cristo Salva, na Rádio Difusora AM (1.170khz), de Mossoró/RN, das 20h às 21h, estaremos lançando a música "Santo Espírito", com participação do pastor-cantor Kzam Nery, com piano do maestro Gideao Silva.

A música estará no nosso segundo CD, "Só Cristo Salva".

O CD "Só Cristo Salva" terá ainda, as participações do cantor-compositor Chagas Sobrinho, do Rio Grande do Norte e o cantor-compositor-maestro Álvaro Tito, do Rio de Janeiro.

Confira mais detalhes no site www.socristosalva.net

Novo protesto em Mossoró

Movimento Pau de Arara na Câmara 

Estudantes do movimento Pau de Arara fizeram protesto hoje, em Mossoró.


Na Câmara Municipal foram  informados de que projeto que dispõe sobre pleitos dos mesmos só será votado em plenário na próxima terça-feira. 

Deputado federal Natan Donadon se entrega


O deputado federal Natan Donadon (PMDB-R Foto: Câmara dos Deputados / Divulgaçã / Câmara dos Deputados / Divulgaçã
Natan se entrega à Polícia Federal 
BRASÍLIA — O deputado federal Natan Donadon (PMDB-RO) se entregou à Polícia Federal (PF) na manhã desta sexta-feira, por volta das 11h e está preso. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da PF. Mais cedo, segundo assessoria do deputado, ele se apresentou ao superintendente da PF, Marcelo Mosele. Donadon combinou de ser pego por um carro da polícia no final da via L2 Sul, em Brasília, como relatou sua assessoria. Ele saiu de seu carro e entrou em um carro da PF sem identificação, junto com o advogado Bruno Rodrigues.
Segundo informou a PF no começo da tarde, o deputado será levado perante juiz da vara de execuções penais e depois vai para um presídio, mas ainda não se sabe qual. Ele já manifestou a vontade de cumprir pena em Rondônia, porém ainda não tinha decidido se faria esse pedido para a justiça, pois não conhecia as condições das prisões no estado.
Com a prisão de Donadon, começa a contar o prazo para que ele apresente sua defesa sobre processo de cassação de seu mandato. Segundo a assessoria do presidente da Comissão de Constituição, Justiça da Câmara, Décio Lima (PT-SC), pediu que assessores entregassem a notificação da abertura do processo de perda de mandato pessoalmente a Donadon na manhã de hoje, na Superintendência da PF.
Depois de notificado, Donadon tem o prazo de cinco sessões plenárias, que tem início a partir de segunda-feira, para apresentar a defesa por escrito à comissão. Segundo a assessoria de Décio Lima, o relator do processo, deputado Sérgio Zveiter (PSD-RJ), tem o mesmo prazo para apresentar o parecer, após a apresentação da defesa. O processo de cassação de mandato foi aberto pela Mesa Diretora da Câmara dos Deputados na última quarta-feira, por meio da Representação nº 20.

Justas homenagens

Ex-vereador Chico da Prefeitura entre familiares e vereador Genivan Vale - Fotos: Walmir Alves
Ex-vereador Francisco José entre os vereadores Francisco José Júnior (filho ) e  Jório Nogueira 
Nomes que deram sua parcela de contribuição ao município de Mossoró, foram reconhecidos hoje na Câmara Municipal de Mossoró.



Incêndio destruiu o Laboratório de Química na Uern

Incêndio em labotarório da Uern - Foto Arimateia Silva
Por:  Ismael Sousa
Um incêndio na tarde desta sexta-feira (28) destruiu parte do laboratório de química da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. O fogo foi detectado por alguns funcionários da universidade, e no momento não tinha estudantes no interior da sala.

Professores assustados pediram para que alunos não se aproximassem da fumaça. Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas para controlar as labaredas. O fogo atingiu o teto fazendo ceder. Vários equipamentos, computadores foram completamente destruídos.

Os bombeiros não informaram os motivos do incêndio, porem, alguns funcionários chegaram a relatar que possivelmente um curto circuito teria iniciado o fogo.

Atualizado às 14h10

Verdade: Só Cristo Salva!


Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos".

Atos dos Apóstolos 4:12

Walter Fonseca


Exemplo de honestidade, honradez, lealdade, seriedade...

Por dever de justiça!


Novo desembargador

O Diário Oficial desta sexta-feira publica a nomeação do advogado Glauber Rêgo para o cargo de desembargador do Tribunal de Justiça.
Às 10 horas, no TJ, o novo desembargador tomará posse.
Eis o ato da governadora Rosalba Ciarlini, que de posse de uma lista tríplice onde constavam os nomes de Glauber e dos advogados Artêmio Azevedo e Magna Letícia, indicou Rêgo.
*
A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelos arts. 64, inciso XIV e 74, “caput”, da Constituição do Estado, e tendo em vista a aprovação da Assembleia Legislativa, através do Decreto Legislativo nº 009, de 26 de junho de 2013,

R E S O L V E nomear o Advogado GLAUBER ANTÔNIO NUNES RÊGO para o cargo de Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, na vaga decorrente da aposentadoria do Desembargador CAIO ALENCAR, correspondente ao quinto reservado aos Advogados, nos termos do disposto nos arts. 94, da Constituição Federal e 74, inciso II, da Constituição Estadual.

Protestos no RN

Adicionar legenda

CNJ aposenta compulsoriamente desembargadores do RN acusados de desvio de recursos

Por maioria, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou, nesta quinta-feira (27), a aplicação da pena de aposentadoria compulsória aos desembargadores Osvaldo Soares Cruz e Rafael Godeiro Sobrinho, ex-presidentes do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN). Os desembargadores eram acusados de envolvimento em um esquema que desviou R$ 14,195 milhões destinados ao pagamento de precatórios.
Em um voto de 142 páginas, que começou a ser lido pela manhã e se estendeu até a metade da tarde, o relator do processo administrativo disciplinar, conselheiro Jorge Hélio, rebateu as principais argumentações da defesa dos magistrados, de que as assinaturas nos documentos que autorizaram os pagamentos não eram autênticas ou de que os desembargadores teriam assinado documentos posteriormente preenchidos.
O processo, iniciado em 25 de maio de 2012, já havia sido colocado em julgamento no CNJ em 29 de janeiro deste ano, mas, na ocasião, o plenário adiou a decisão final para que fossem refeitas perícias de documentos usados como prova, conforme havia sido pedido pela defesa.
Para o conselheiro relator, ainda que afastada a hipótese de participação consciente e motivada, os magistrados descumpriram o Inciso 7º do Artigo 35 da Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman) ao não supervisionarem devidamente os atos de ordenação de despesas do Setor de Precatórios do Tribunal.
“O que me parece nítido é que, ainda que afastemos a hipótese de participação consciente e motivada no esquema, restam duas hipóteses: o desembargador assinou os cheques sem o mínimo de cautela ou assinava cheques em branco, depois preenchidos”, explicou o conselheiro. Jorge Hélio citou como exemplo a assinatura, pelo desembargador Osvaldo Soares Cruz, de três cheques nominais num mesmo dia em valores diferentes para uma pessoa que não era beneficiário ou procurador de processo de precatórios.
O esquema, segundo as informações que constam no processo, esteve em funcionamento entre os anos 2007 a 2011. “Os pagamentos dos precatórios seguiam aparentemente normais, o que se fazia era a partir das sobras de caixa”, relatou o conselheiro.
Os recursos eram sacados ou transferidos por meio de cheques nominais, transferências diretas e das chamadas guias de depósito judicial ouro. Os beneficiários eram sempre pessoas estranhas a processos de precatórios do Tribunal e sempre relacionadas à ex-chefe do setor, Carla de Paiva Ubarana Araújo Leal e a seu marido, George Luís de Araújo Leal. Os dois já foram condenados a 10 e 6 anos de prisão, respectivamente, e estão cumprindo pena em regime fechado.
Osvaldo Soares Cruz e Rafael Godeiro Sobrinho respondem ainda a processo criminal que tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os dois magistrados já haviam sido afastados de seus cargos e recentemente o desembargador Rafael Godeiro Sobrinho foi aposentado por ter alcançado o limite de 70 anos de idade.
Apesar disso, o conselheiro Jorge Hélio pediu a condenação do desembargador Rafael Godeiro Sobrinho, por haver outras consequências decorrentes da punição na esfera administrativo-disciplinar, como o impedimento ao exercício da advocacia ou a incapacidade de ocupar cargo em comissão no Judiciário. “A aposentadoria compulsória por idade não extingue a punibilidade do magistrado por descumprimento de seus deveres funcionais por fatos ocorridos enquanto ele exerceu o cargo”, argumentou. “Foi uma inovação na jurisprudência do CNJ”, complementou.
O voto foi seguido por todos os conselheiros presentes, com exceção do conselheiro Silvio Rocha, que entendeu não caber punição do CNJ em relação ao desembargador Rafael Godeiro Sobrinho, uma vez que ele já foi aposentado.
“Vossa excelência encerra com chave de ouro a sua participação nesse Conselho, com esse voto lapidar”, disse o conselheiro Wellington Saraiva. “Confesso que eu tinha algumas dúvidas em relação a alguns pontos desse processo, mas todas foram devidamente elucidadas com a leitura do voto”, declarou o conselheiro Guilherme Calmon.
Tatiane Freire
Agência CNJ de Notícias

Obrigado Deus

Simplesmente linda a música "Santo Espírito", do nosso novo CD, com participação do pastor-cantor, Kzam Nery e piano do maestro Gideão.


Aguarde, amanhã! Obrigado, Deus; obrigado pastor Kzam; obrigado Gideão Silva!

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Pau de Arara na Câmara Municipal



Com o objetivo de avaliar as propostas de emendas da Câmara Municipal de Mossoró, o Movimento Pau de Arara, que reivindica melhorias na mobilidade urbana, fará mais uma mobilização nesta sexta-feira, 28.

De acordo com informe encaminhado pelo próprio Pau de Arara, a concentração vai acontecer na “Praça do Pax”, às 7h.

Da praça o movimento seguirá para a Câmara Municipal de Mossoró, onde promete lotar o plenário.

Secretário de Comunicação se pronuncia sobre dívida do Governo com a CDL


Do secretário estadual de Comunicação o jornalista Edilson Braga, recebemos comunicado de que está levando informações sobre a denúncia de que o Governo do Estado não pagou os patrocínios dos anos de 2011 e 2012, da campanha Líquida Mossoró, da Câmara de Dirigentes Lojistas.

De acordo com fontes da CDL, caso esses patrocínios – valores não revelados – não sejam efetuados, a 12ª Edição da Líquida Mossoró, prevista para agosto, corre o risco de não se realizar.

De acordo com o secretário, tão logo ele disponha de informações oficiais sobre o assunto, encaminhará ao blog. 

Crédito dos 40% do 13º salário dos servidores estaduais será feito apenas no “sábado”


A Assessoria do Governo divulgou nota oficial informando que o crédito referente a 40% do décimo terceiro salário será feito apenas no sábado. Ou seja, os salários serão pagos amanhã e sexta-feira, mas já o benefício chegará às contas apenas no sábado.

“Amanhã recebem os servidores com matrículas de 0 a 5. Na sexta recebem os servidores com matrículas de 6 a 9. A folha de pagamento do mês de junho, que consta de 101 mil 278 servidores, entre ativos, inativos e pensionistas, ultrapassa o valor de R$ 272 milhões, que somados aos R$ 121 milhões da parcela de 40% do 13º salário, representam um montante total de R$393,5 milhões injetados na economia do Rio Grande do Norte”, diz um dos trechos da nota do Governo do Estado

Rosalba confirma Glauber que será sabatinado pela Assembleia Legislativa


Como já era esperado, a governadora Rosalba Ciarlini confirmou o nome de Glauber Rêgo para a vaga do quinto constitucional da OAB no Tribunal de Justiça do RN. A lista tríplice do TJ com os nomes dos advogados Artêmio Azevedo, Magna Letícia e Glauber Rêgo foi definida hoje (26) de manhã.

O ofício com a lista foi encaminhado pelo desembargador Aderson Silvino, presidente do TJ, à governadora Rosalba Ciarlini no início da tarde.

Rosalba Ciarlini estava em Brasília até a manhã desta quarta-feira e assinou a indicação de Glauber Rêgo ao desembarcar no Aeroporto Augusto Severo.

Glauber Rêgo já havia sido escolhido por Rosalba na primeira lista encaminhada pelo TJ e depois anulada por determinação do Conselho Nacional de Justiça.

A sabatina e a votação do nome do advogado Glauber Rêgo para o cargo de desembargador do TJ ficaram mesmo para as sessões de amanhã (27) na Assembleia Legislativa.

O presidente Ricardo Motta (PMN) convocou sessão ordinária para o período da manhã e já está prevista sessão extraordinária para a tarde desta quinta-feira.

A mensagem da governadora Rosalba Ciarlini será lida na sessão da manhã e depois o advogado Glauber Rêgo será sabatinado na Comissão de Constituição e Justiça da casa.

Além da nomeação de Glauber Rêgo para o TJ, os deputados vão votar a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) e matérias de interesse do Tribunal de Justiça e do Ministério Público.

Após as sessões, a Assembleia Legislativa entra em recesso.

Fonte:  www.nominuto.com

Dois homicídios em Mossoró


Mais dois crimes foram registrados pelo Centro Integrado e Operações de Segurança Publica (CIOSP) de Mossoró na noite desta quarta-feira (26).

O primeiro homicídio ocorreu em uma estrada carroçável no loteamento Canto do Conde, por trás do terminal rodoviário, no Bairro Nova Betânia.

Um jovem, ainda sem identificação aparentando ter entre 18 a 19 anos de idade foi encontrado morto com vários disparos de arma de fogo.

Segundo populares informaram a polícia que escutaram cerca de 5 disparos e em seguida uma motocicleta saindo em alta velocidade do local. Testemunhas disseram no local que a vítima foi vista entrando no matagal em uma moto e outro elemento em outra motocicleta, que possivelmente seja o acusado.

DOIS – O outro crime de homicídio também foi registrado na noite desta quarta-feira, 26, na Rua Orlando Dantas, Bairro Santo Antônio em Mossoró.

Um menor de 17 anos de idade, conhecido como "Branquinho", foi morto a tiros de pistola 380 por dois elementos em uma motocicleta.

Segundo informações da mãe da vítima, o mesmo se encontrava em sua residência na Rua Décima Rosado, quando saiu para atender um telefonema.

A mãe pediu para o filho não sair de casa, e logo após recebeu a trágica noticia que seu filho havia sido assassinado.


Segundo a polícia, "Branquinho" tinha envolvimento em assaltos e que pode ter sido a causa da morte. 

Fonte e fotos:  Blog Passando na Hora

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Banco Mundial assina contrato para liberar 360 milhões de dólares para o RN

Informação que chega de Washington (EUA) para o Blog:
O Banco Mundial acaba de assinar o contrato para liberação de 360 milhões de dólares para execução do projeto ‘RN Sustentável’, do governo do Estado, que inclui investimentos nas áreas de Educação, Saúde, Segurança, e também no setormde arranjos produtivos – apicultura, aquicultura, ovinocaprinocultura…

Fonte:  www.thaisagalvao.com.br

Brasil venceu por 2 a 1 o Uruguai

 Paulinho comemora seu gol, o segundo do Brasil, na vitória sobre o Uruguai Foto: Bruno Magalhaes / AP
Paulinho comemora gol 
BELO HORIZONTE - A Copa do Mundo começou mais cedo em Belo Horizonte. Diante de 57 mil torcedores em um Mineirão lotado, a seleção brasileira, em total clima de Mundial, encarou um dos seus mais tradicionais adversários e não deixou o fantasma do Maracanazo de 1950 tomar forma no estádio mineiro. Em um jogo muito disputado, o Brasil venceu por 2 a 1 o Uruguai e se classificou para a decisão da

Copa das Confederações, domingo, no Maracanã, às 19h, contra Espanha ou Itália, que se enfrentam nesta quinta-feira, no Castelão, na outra semifinal.

Paulinho foi o herói da classificação ao fazer o segundo gol brasileiro, de cabeça, aos 41 minutos do segundo tempo. Antes, já haviam brilhado Júlio César, ao defender um pênalti logo no início, quando a partida ainda estava 0 a 0, e Fred, que abriu o placar pouco antes do intervalo. Cavani fez o gol de um Uruguai que jogou recuado, e assustou mais pelas falhas da defesa brasileira do que por seus méritos.

Maior vencedor da Copa das Confederações, com as conquistas de 1997, 2005 e 2009, e vice em 1999, o Brasil vai para a quinta decisão, recorde no torneio, em busca do seu quarto título, o terceiro seguido. Mas, depois de vencer o torneio de preparação e cair nas duas últimas quartas de final de Copa do Mundo, a seleção saiu de campo nesta quarta-feira com um sentimento de que, dentro de casa e com apoio da torcida, a equipe terá um trunfo a mais na busca pelo hexa em 2014.

- A torcida foi fundamental, para que a gente superasse as dificuldades. Não jogamos tão bem, e a torcida foi a grande vencedora, foram eles que carregaram o time. Muito bom saber que Belo Horizonte também nos recebe de forma calorosa - afirmou o técnico Luiz Felipe Scolari após a partida.

De volta à seleção pelas mãos de Felipão, Júlio César foi eleito o melhor jogador da vitória brasileira, graças à penalidade defendida, e voltou a viver um dia de herói com a seleção.- Brasil x Uruguai é sempre emocionante para mim. Num momento importante, ajudar a equipe novamente foi maravilhoso, fico muito feliz - declarou.
Falhas da defesa foram o melhor ataque do Uruguai
O enredo dos jogos anteriores se repetiu no Mineirão, com a torcida e os jogadores cantando o Hino Nacional a capela, após a interrupção da execução oficial. Antes de a bola rolar, um minuto de silêncio pelos dez anos da morte do camaronês Marc-Vivien Foé, ocorrida também em uma semifinal de Copa das Confederações. O clima de decisão, porém, esfriou após o apito do árbitro chileno Enrique Osses. As duas equipes erravam muitos passes, e a seleção brasileira, muito bem marcada, sequer chegava perto da área uruguaia.
Aos 12 minutos, David Luiz puxou infantilmente Diego Lugano na área brasileira, e o juiz marcou pênalti. Mas Júlio César evitou o gol defendendo a cobrança de Forlán, no canto esquerdo. Mas nem a defesa da penalidade animou o Brasil, que continuou sofrendo para armar uma boa jogada de ataque. Muito recuado, mesmo com três atacantes no time titular, o Uruguai acabou não resistindo à leve pressão brasileira. Aos 40, Muslera conseguiu espalmar o chute de Neymar, na pequena área, mas a bola sobrou quicando para Fred pegar de primeira e fazer 1 a 0, no canto esquerdo. Na comemoração, o atacante mineiro, que marcou seu 42º gol no 48º jogo que disputou no Mineirão, mandou o recado na comemoração: 'Aqui na minha casa quem manda sou eu'.
Mas Fred esqueceu de combinar com a defesa. Logo aos dois minutos do segundo tempo, uma trapalhada coletiva permitiu o empate uruguaio. David Luiz foi dar um chutão e acertou um adversário, Luiz Gustavo fez um recuo perigoso na área e Thiago Silva, em vez de se livrar da bola, errou um passe lateral para Marcelo e acabou dando um presente para Cavani chutar no canto direito de Júlio César.
O gol, no entanto, não animou o Uruguai, que continuou fechado na defesa. E o Brasil começou, então, a mandar na partida. Aos sete, Muslera tirou um cruzamento de soco e deu sorte ao ver o rebote de Oscar desviar na defesa e ir para fora. Logo depois, o goleiro espalmou para escanteio a falta cobrada de longe por Hulk, no último lance importante do camisa 19 na partida. Aos 18, Felipão trocou Hulk por Bernard, levando à loucura a parte atleticana da torcida no estádio.
Em um dos poucos ataques do Uruguai, Thiago Silva voltou a assustar a torcida, cabeceando para trás, rente ao travessão brasileiro. Mas quem mandava no jogo eram os donos da casa. Aos 21, Bernard cruzou para Fred bater de primeira, muito alto. Dois minutos depois, Neymar bateu fraco, em cima de Muslera. Conforme passava o tempo, a tensão aumentava. E o Uruguai assustou de novo, em chute de Cavani que desviou em Luiz Gustavo e saiu rente à trave direita. A explosão da arquibancada só saiu aos 41 minutos: Neymar cobrou escanteio da esquerda e Paulinho subiu na segunda trave para marcar de cabeça o gol da classificação.
BRASIL 2 X 1 URUGUAI

Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Enrique Osses (CHI)

Assistentes: Carlos Astroza (CHI) e Sergio Roman (CHI)

Público: 57483 presentes

Cartões amarelo: David Luiz, Luiz Gustavo, Marcelo (BRA); Cavani, A. Gonzalez (URU)

Cartão vermelho: -

Gols: Fred, aos 41'/1ºT (1-0), Cavani, aos 3'/2ºT (1-1), e Paulinho, aos 41'/2ºT (2-1)


Kzam Nery começa a gravar participação no nosso segundo CD

Kzam Nery e Gideão Lima no GF Stúdio - Foto:  Gideão

Começamos nesta terça-feira, 2,com conclusão prevista para esta quinta-feira, 27, a gravação do pastor evangélico e cantor gospel, Kzam Nery, na música “Santo Espírito”, do nosso segundo CD que tem como título “Só Cristo Salva”.

A produção é do maestro Gideão Lima, em seu GF Stúdio.

Mais detalhes no site www.socristosalva.net

Efeito protestos: deputado federal vai para a cadeia


O deputado federal Natan Donadon (PMDB-RO Foto: Câmara dos Deputados / Divulgação / Câmara dos Deputados / Divulgação
Natan Donadon vai para a cadeia já 

BRASÍLIA - O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a imediata expedição do mandado de prisão contra o deputado Natan Donadon (PMDB-RO), condenado em outubro de 2010 a 13 anos, quatro meses e dez dias de prisão em regime inicialmente fechado pelos crimes de formação de quadrilha e peculato. É a primeira vez que alguém condenado pelo tribunal será preso desde a Constituição de 1988. Como ainda tinha o direito de recorrer da sentença, Donadon ainda está em liberdade, exercendo o mandato. Na sessão desta quarta-feira, os ministros decidiram que o novo recurso proposto tinha “caráter meramente protelatório” – e, por isso, o réu deveria ser preso.
Donadon está em Brasília, mas não no Congresso Nacional neste momento. Ele não registrou presença na Casa. A assessoria de imprensa do parlamentar assegurou que ele está na cidade e aguarda orientações dos advogados sobre o que fazer.
A decisão do Supremo foi tomada no julgamento dos segundos embargos de declaração apresentados pelo parlamentar – uma espécie de recurso do recurso. A defesa alegou que Donadon não poderia ser preso, porque era deputado. Um dia antes de ser condenado pelo STF, Donadon renunciou ao mandato que exercia. No mesmo ano, ele concorreu novamente a deputado, foi eleito para um novo mandato e tomou posse em 2011. Na sessão desta quarta-feira, o ministro Teori Zavascki ressaltou que não há incompatibilidade entre a atividade parlamentar e a prisão.
- Nos termos da Constituição Federal, não há incompatibilidade entre a manutenção do cargo e o cumprimento de pena de prisão. Não há nenhuma incompatibilidade entre um deputado permanecer no cargo e ser preso. A manutenção ou não do mandato, no caso de condenação definitiva, no meu entender, é uma questão que, neste caso concreto, tem de ser resolvida pelo Congresso e, no caso da prisão em flagrante, nem isto - esclareceu o ministro.


Fonte:  www.oglobo.com

Deputado na cadeia?


Após STF decretar prisão de @DepNatanDonadon convoquei Mesa Diretora para se reunir em instantes e iniciar processo de perda de mandato
Lamentável que o processo de @DepNatanDonadon demorou tantos anos no Judiciário; a @CamaraDeputados em poucos dias fará sua parte

Câmara Municipal debate a segurança


Autoridades debatem os problemas da segurança - Foto:  Arimateia Silva

A Câmara Municipal de Mossoró realizou hoje, uma Audiência Pública para tratar da segurança pública de Mossoró.
A Audiência foi proposta pelo vereador Soldado Jadson (PT do B), e aconteceu a partir das 9h, com presenças de diversas autoridades da área de segurança pública do município.
 
Um dos motivos que provocaram a audiência é o aumento da violência na cidade de Mossoró, onde mais de 90 assassinatos foram registrados somente este ano.
 
Ontem, mais um agente penitenciário foi encontrado morte em uma estrada na periferia da cidade.
 
O reduzido número de policiais, a falta de armamento e viaturas em quantidade necessária são apenas alguns dos problemas que afetam o setor.

TJ/RN escolhe lista tríplice para escolha de novo desembargador

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte definiu, no início da tarde desta quarta-feira (26), a lista tríplice que servirá como base para que a governadora Rosalba Ciarlini indique o jurista que ocupará a vaga deixada pelo desembargador aposentado Caio Alencar. Assim como ocorreu na primeira votação, que foi anulada pelo CNJ, Artêmio Azevedo, Glauber Rêgo e Magna Letícia foram os indicados.

Além deles, os advogados Verlano de Queiroz Medeiros, Marisa Rodrigues de Almeida Diógenes e Priscila Coelho da Fonseca eram os concorrentes à vaga. Para a disputa, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) notificou o TJRN, através de acórdão assinado pelo conselheiro Jorge Hélio Chaves de Oliveira, com as definições que deveriam ser adotadas pela Corte para a formação da lista tríplice na votação de hoje.

As diretrizes, em resumo, tratavam sobre a necessidade de justificativa e votos abertos para as escolhas dos desembargadores, assim como a necessidade de que cada membro da lista tivesse, pelo menos, oito votos em cada disputa entre os candidatos. Somente na disputa pela segunda vaga é que houve a necessidade da segunda votação.

Já com a garantia de Artêmio Azevedo encabeçando a lista, que foi indicado com os votos de todos os 13 desembargadores, a disputa pelo segundo posto ficou entre Glauber Rego, Verlano Medeiros e Magna Letícia. Glauber Rego chegou a somar seis votos inicialmente, com Verlano e Magna Letícia também sendo citados. No entanto, na segunda votação, Glauber Rego teve 11 votos, contra um de Verlano Medeiros e um de Magna Letícia.

Na disputa pela terceira vaga, Magna Letícia teve 12 votos. O único voto divergente foi do desembargador Saraiva Sobrinho, que indicou Marisa Almeida. Assim, a lista tríplice ficou definda da mesma forma como foi a de 15 de fevereiro: Artêmio Azevedo (13 votos), Glauber Rêgo (11 votos) e Magna Letícia (12 votos).

Agora, caberá à governadora Rosalba Ciarlini a indicação de quem ocupará o posto. Antes da anulação da lista que havia sido indicada pelo TJRN, a governadora indicou Glauber Rego para ocupar o posto. Não há, no entanto, a confirmação sobre qual será a escolha de Rosalba neste momento.

Fonte:  www.tribunadonorte.com.br

Calote do Governo do Estado pode provocar cancelamento da Líquida Mossoró

Rosalba na CDL em 2011 
A campanha promocional do comércio local, denominada Líquida Mossoró, poderá não ter sua 12ª Edição, realizada no próximo mês de agosto.

Como o Governo Rosalba Ciarlini não pagou os patrocínios - valores não revelados - de 2011 e 2012, este ano a CDL não teria mais como bancar as despesas como prêmios - inclusive carro 0k -, campanha de mídia e outros custos.

Mais detalhes, na nossa coluna Antenado, do jornal Correio da Tarde, desta quarta-feira, 26.

E ainda hoje, aqui.

TJRN: Artêmio Azevedo é o primeiro escolhido para lista tríplice



Advogado obteve quorum mínimo de oito votos dos desembargadores para integrar a lista para desembargador do Tribunal
Artêmio Azevedo 
Por Leonardo Dantas
Artêmio Azevedo acompanhou a votação que elegeu seu nome para a lista (Foto: Leonardo Dantas)
O advogado Artemio Azevedo é o primeiro nome dos seis eleitos pelos associados da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RN) a integrar a lista tríplice do Quinto Constitucional. A votação acontece desde às 8h30 desta quarta-feira (26), no plenário da Corte do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte.

O nome do advogado foi o primeiro a alcançar o quorum mínimo de oito votos do colegiado composto de 15 desembargadores, mas com apenas 13 aptos a votar no momento.

Até o momento, o nome dele foi unanimidade. Artemio Azevedo, 51 anos, possui 18 anos de carreira, sendo 15 deles como advogado do Banco do Brasil, com graduação em Ciências Econômicas e Direito.

*Mais informações em instantes.

Governo do Estado não pagou patrocínio da Liquida Mossoró e prejudica CDL


Não é nada bom o clima entre a direção da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), de Mossoró e o Governo do Estado.

De acordo com fonte que tem trânsito privilegiado na entidade, o motivo do estremecimento foi o não pagamento de patrocínio do Governo a campanha Líquida Mossoró.

Desde o início da promoção, o Governo do Estado é uma dos principais aliados da CDL.

Porém, mesmo com a relação estreita entre a governadora Rosalba Ciarliini e seu marido, o chefe da Casa Civil, Carlos Augusto Rosado, com alguns integrantes da diretoria lojista, o Governo do Estado, mesmo tendo anunciado o apoio, não liberou os recursos.

Não foram revelados detalhes como valor comprometido e que não foi pago.

“O Governo Rosalba quebrou a CDL”, afirmou um empresário que já foi presidente lojista, lamentando a situação.

Oficialmente, a direção da CDL prefere não se manifestar, porém, o descontentamento é grande. 

SILÊNCIO - Por sua amizade com Rosalba e Carlos Augusto, o empresário Antonio Alexandrino tem evitado tratar do assunto em público, mesmo diante da cobrança de alguns integrantes da diretoria que consideram que a situação revela falta de consideração pelo casal que governa do Estado para com o dirigente e a entidade como um todo. 


Presidente da Fecam convoca legisladores do Estado para Seminário “Práticas de uma Gestão Municipal Responsável”


O presidente da Federação das Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte (Fecam/RN), Francisco José Junior, convoca os vereadores de todo o estado a participar do Seminário “Práticas de uma Gestão Municipal Responsável”. A abertura será nesta quarta-feira (26) e segue com programação no dia 27 de junho, na Escola de Contas Professor Severino Lopes de Oliveira, no Centro Administrativo, em Natal. O evento do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RN) é gratuito e está sendo promovido pela Assessoria de Planejamento e Gestão do TCE e pela Promoex, com a parceria da Fecam.
“Nossa gestão esta focada na qualificação e aperfeiçoamento dos vereadores, por isso, a importância de participar e apoiar essa oportunidade de conhecimento específico na administração pública municipal”, ressalta o presidente da Fecam, Francisco José Júnior, que participa do seminário em dois momentos: O primeiro durante a abertura do evento, nesta quarta-feira; E no painel “Acesso à Informação e o portal da transparência”, em que debaterão com Francisco Jr o conselheiro do TCE/RN, Carlos Thompson; o procurador Luciano Ramos (MPJCE); o presidente da Federação dos Municípios do RN (Fermurn), Luis Benes Leocádio; o chefe da Controladoria Geral da União no RN, Moacir Rodrigues de Oliveira e o servidor do Tribunal de Contas da União (TCU), Cleber da Silva Menezes.
O seminário é destinado a prefeitos; vice-prefeitos; presidentes de Câmaras Municipais; vereadores; secretários municipais de Planejamento, Administração e Finanças; controladores municipais e servidores públicos municipais. Em dois dias, serão oferecidas palestras de conselheiros e técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE); do superintendente do Sebrae/RN, José Ferreira de Melo Neto, abordando o projeto Prosperar; além de painéis com representantes do Ministério da Previdência, Prefeitura Municipal de Natal, colaboradores do grupo crédito e mercado, entre outros.

Prefeitura de Mossoró realizará dia 15 de julho licitação de agências publicitárias

Por:  Gutemberg Moura
Treze agências já requisitaram edital de concorrência, mas apenas quatro delas serão selecionadas durante o processo

O prazo já está correndo...A abertura dos envelopes da licitação que definirá as novas agências publicitárias que administrarão a conta da Prefeitura de Mossoró a partir do segundo semestre deste ano está marcada para o dia 15 de julho.

Até essa segunda-feira (24), 13 agências de publicidade já tinham requisitado o edital da concorrência pública.

Atualmente, quatro agências cuidam da cota de publicidade do governo mossoroense. De Natal, a Art & C e Faz Propaganda. De Mossoró, a C & S Assessoria e Modus Publicidade.

Fonte: www.gutembregemoura.com.br

Proposta de Dilma de uma Constituinte para promover a reforma política durou menos de 24 horas.

Dilma Rousseff, na cerimônia de lançamento dos Planos Setoriais na reunião do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, em Brasília

Apresentada como um dos pilares do pacto nacional para aplacar a onda de protestos que convulsionam o país, a proposta da presidente Dilma Rousseff de uma Constituinte para promover a reforma política no país durou menos de 24 horas.

O recuo do governo foi anunciado pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinícius Furtado, ao deixar uma reunião nesta terça-feira com Dilma, o vice-presidente da República, Michel Temer, e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, no Palácio do Planalto. Minutos depois, coube ao próprio Cardozo, visivelmente embaraçado, tentar explicar o fiasco: "A presidente da República falou em processo constituinte específico; ela não defendeu uma tese. Há várias maneiras de fazer um processo constituinte específico. Uma delas seria a convocação de uma Assembleia Constituinte, como muitos defendem. A outra forma seria, através de um plebiscito, colocar questões que balizassem o processo constituinte específico feito pelo Congresso. A presidente falou genericamente".

De acordo com Cardozo, que tenta encontrar uma "saída honrosa" para o recuo, a presidente agora prefere uma consulta popular direta, que não exija mudanças na Constituição, sobre mudanças no sistema político-eleitoral. As críticas à ideia original e a complexidade do tema levaram o Planalto a se alinhar com uma proposta mais simples, sugerida pela própria OAB. Às 14h55, o Planalto divulgou uma nota reiterando "a relevância de uma ampla consulta popular por meio de um plebiscito".

Desde que foi alardeada pela presidente, pegando de surpresa governadores e prefeitos que aguardavam o início de uma reunião em Brasília, a ideia da Constituinte foi bombardeada por juristas, políticos da base e da oposição, e, reservadamente, considerada inviável por integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF). Pelo menos quatro magistrados do STF procuraram líderes do governo e da oposição para alertar sobre os riscos da proposta. Um dos ministros mais engajados enfatizou que o anúncio da chefe do Executivo era um “golpe contra a democracia”. Nesta terça, Dilma se reunirá com o presidente da Suprema Corte, Joaquim Barbosa, e do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL).

Joaquim Barbosa, criticou hoje (25) os partidos brasileiros e defendeu a participação popular direta nas principais decisões


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, criticou ontem, os partidos brasileiros e defendeu a participação popular direta nas principais decisões do país. Para ele, os partidos estão "desgastados" e "sem credibilidade", enquanto o povo está pronto para ser ouvido nas questões nacionais, como a necessidade de reforma política.

“A sociedade brasileira está ansiosa por se ver livre, pelo menos parcialmente, dos grilhões partidários que pesam sobre seus ombros. E isso é muito salutar”, disse o ministro. Barbosa falou com jornalistas nesta tarde, no plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), após conversar com a presidenta Dilma Rousseff no Palácio do Planalto sobre os protestos recentes que tomaram o país.

Para o presidente do STF, o Brasil vive uma grave crise de representatividade política e, embora não defenda a eliminação de partidos, apoia menor dependência das legendas para discutir os temas nacionais. “Temos que ter é consciência muito clara de que há necessidade de incluir o povo nas discussões sobre reformas. O Brasil está cansado de reformas de cúpula.”

Barbosa disse que não conversou com a presidenta sobre a legalidade da convocação de Assembleia Constituinte específica para discutir a reforma política. Ele ressaltou, porém, que essa reforma só seria possível por meio de emendas à Constituição, e não apenas por projetos de lei, e disse que tem dúvidas sobre a eficácia deste método.

“Essas emendas já não tramitam no Congresso há anos? Houve, em algum momento, demonstração de vontade política de levar adiante essas reformas?”, questionou. Ao falar sobre o que seria o método ideal para promover as reformas, o ministro disse que as pessoas que pensam no país “não devem se desviar e perder tempo com discussões que só levam à dispersão”.

Barbosa ainda revelou propostas que defendeu durante a conversa com a presidenta Dilma Rousseff, como o voto direto nos candidatos, sem intermédio de legendas, a realização de recall eleitoral para descartar políticos que não agradaram a seus eleitores durante o mandato e o voto distrital puro, em um ou dois turnos qualificados.

O ministro também classificou de "excrescência" a existência de parlamentares suplentes, pois acredita que o modelo não permite ao eleitor saber quem realmente elegeu.

No campo do Judiciário, defendeu a eliminação da dependência política para progressão de cargos e a alteração na composição dos tribunais eleitorais. No modelo atual, quase um terço dos tribunais é integrado por advogados que continuam exercendo suas atividades quando não estão nas cortes.

Joaquim Barbosa frisou que todas essas opiniões são individuais e não representam o posicionamento dos integrantes do STF.

Deputado federal João Maia é inocentado da acusação de caixa 2 em julgamento no TRE

A Corte do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte – TRE-RN, em sessão realizada nesta terça-feira, 25, julgou improcedente, por maioria de votos, a representação feita pelo Ministério Público Eleitoral - MPE contra o deputado federal João Maia (PR/RN).

Na representação, o MPE acusava o parlamentar de irregularidades nos gastos de campanha no que se refere a aluguel de veículos e pedia a cassação do seu diploma.

O relator, juiz Nilson Cavalcante julgou improcedente a representação, sendo acompanhado pelos juízes Verlano Medeiros, Carlo Virgílio e pela desembargadora Zeneide Bezerra, sendo vencido o desembargador João Rebouças. O juiz Manuel Maia alegou suspeição.

Do TRE



Royalties: Câmara aprova destinação de 75% para a Educação e 25% para a Saúde


BRASÍLIA - Numa derrota para a bandeira da presidente Dilma Rousseff de destinar 100% dos recursos dos royalties do petróleo para a Educação, a Câmara aprovou na madrugada desta quarta-feira proposta que obriga a destinação de apenas 75% destas receitas à Educação e dos outros 25% para a Saúde. Além disso, o projeto agora cria um gatilho, que vincula a aplicação de 50% dos recursos do Fundo Social (criado com as novas regras de exploração do pré-sal) ao cumprimento da meta de chegar a 10% do PIB em investimentos em Educação, prevista no Plano Nacional de Educação (PNE). O projeto será analisado agora pelo Senado.
A proposta original da presidente Dilma destinava à Educação apenas os "rendimentos" de 50% do Fundo Social. Com a mudança, os valores sobem consideravelmente. O autor do novo texto e líder do PDT, André Figueiredo (CE), acredita que as mudanças trarão cerca de R$ 280 bilhões para as áreas de Educação e Saúde. A proposta original calculava R$ 25,8 bilhões em dez anos.
O líder do governo na Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), avisou que o governo não tem nenhum compromisso com as mudanças, sinalizando que poderá haver vetos por parte da presidente Dilma Rousseff.
- O governo não tem nenhum compromisso. Queremos 100% para a Educação - disse Chinaglia.
O projeto original do governo obrigava a aplicação de 100% das receitas em Educação. Os novos percentuais foram negociados entre os partidos governistas e a oposição.
No caso do Fundo Social, a proposta prevê que serão destinados à Educação 50% dos recursos do fundo, que foi criado com as regras de exploração do pré-sal. Esta é uma mudança substancial no texto da presidente Dilma, que previa a destinação apenas dos "rendimentos" do Fundo Social, ou seja, um valor bem menor.
Pelo novo texto, os 50% dos recursos do Fundo Social serão destinados à Educação, até o cumprimento da meta de investimentos de 7% do PIB em Educação, em cinco anos, e de 10% do PIB, em dez anos. Estas metas estão no Plano Nacional da Educação, que foi aprovado na Câmara que está no Senado. O governo é contra estas metas.
Outra mudança foi no tipo de contrato que será atingido. No primeiro artigo, o projeto prevê que serão destinados as receitas provenientes dos royalties relativos a áreas cuja declaração de comercialidade tenha ocorrido a partir de 3 de dezembro de 2012, relativas a contratos celebrados sob os regimes de concessão e de partilha de produção. O texto original falava em contratos celebrados a partir de 3 de dezembro de 2012. A diferença é que os recursos já são garantidos imediatamente.
O projeto sobre a destinação dos recursos dos royalties foi enviado pela presidente Dilma Rousseff com urgência constitucional e foi anunciada com pompa pelo governo.
Os parlamentares sustentaram que a Saúde também precisa se recursos e não apenas a área da Educação. Nos bastidores, os líderes governistas concordaram com a nova divisão dos percentuais, já que corria o risco de ver o projeto do governo ser derrotado e ser aprovado um parecer que traria problemas ao governo.
A proposta foi apresentada formalmente pelo líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), mas teve o apoio de líderes da base como o líder do PMDB na Câmara, deputado Eduardo Cunha (RJ). A chamada bancada da Saúde tem até mais peso na Câmara do que a bancada da Educação.

Fonte:  www.oglobo.com


PEC 37 é votada e rejeitada na Câmara dos Deputados Foram 430 votos “não”, contra 9 votos“sim”, e duas abstenções


Sessão da Câmara dos Deputados durante discussão e votação da PEC 37
Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

BRASÍLIA — Sob pressão das manifestações de rua, a Câmara dos Deputados rejeitou nesta terça-feira à noite a proposta de emenda constitucional que restringia o poder de investigação do Ministério Público. Numa reviravolta do cenário político, em que partidos até então favoráveis à medida mudaram de posição, 430 deputados votaram contra a PEC 37. Apenas nove foram a favor, e dois se abstiveram.
— Está derrotada a proposta de emenda constitucional por quase unanimidade desta casa. Vai para o arquivo! — anunciou o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).
VEJA TAMBÉM
Dirigente do Ministério Público diz que ‘povo fez o funeral’ da PEC 37
Novo perfil de manifestante toma as ruas de São Paulo
Protesto contra PEC 37 em Brasília volta ao Congresso Nacional
Antes de os protestos começarem, nem a comissão especial criada para discutir o tema conseguira chegar a um acordo entre promotores e policiais. A votação foi antecipada para hoje depois de o presidente da Câmara negociar com os líderes dos partidos. Em meio a gritos da galeria, cheia de promotores e procuradores, Alves deu o tom de como a Câmara deveria votar.
— Quero dizer que todo o país está acompanhando esta votação. E seria muito importante, neste momento, um ato de unanimidade para derrotar essa PEC — disse o presidente da Câmara.
Logo cedo, ele já anunciara que colocaria o tema na pauta com o desejo de derrotá-lo. Inicialmente resistente, o PT anunciou hoje à noite que votaria contra a PEC 37. O líder do PT, José Guimarães (CE), chegou a afirmar ser favorável apenas à retirada da votação neste momento. O partido é o mais incomodado com a atuação de alguns integrantes do Ministério Público.
Para acelerar a apreciação do tema, o presidente da Câmara inverteu a ordem de votação. Às 20h, abriu sessão extraordinária apenas para votar a PEC. Um a um, os líderes dos partidos iam ao microfone dizer que estavam contra a PEC. A bancada do PSD, dividida, havia decidido liberar seus parlamentares para votar como desejassem. Na hora, o partido anunciou que tinha fechado questão contra a PEC. O PTB fez o mesmo.
Com boa parte dos políticos declarando oposição à proposta, o deputado Ivan Valente (PSOL-SP) subiu à tribuna e ironizou os colegas:
— Quando a Comissão de Constituição e Justiça votou isso, a maioria era a favor. Agora, com a pressão das ruas, mudaram de opinião — disse Valente.
Henrique Alves saiu em defesa dos partidos. Disse que o acordo para votação tinha sido chancelado pelas lideranças de todas as legendas.
— Estamos aqui votando porque houve um acordo de todos os líderes.
— Hoje, estamos aqui homenageando as ruas, por isso o governo orienta a votação não à PEC — disse o líder do governo, Arlindo Chinaglia (PT-SP).
O líder do PSDB, Carlos Sampaio (PR), promotor de carreira, subiu à tribuna para dizer que a categoria é defensora da Justiça e não simples acusadora de crimes. A líder do PCdoB, Manuela D’Ávila (RS), avisou que toda a bancada do partido iria votar contra. Ela defendeu a regulamentação do processo de investigação, mas ressaltou que isso não seria feito pela PEC 37.
O dia foi de mobilização de promotores. Dezenas deles se espalharam pela Câmara e abordaram os parlamentares. Depois, encheram as galerias do plenário e gritaram:
— Rejeita, rejeita!
O ex-procurador-geral da República Cláudio Fonteles foi um dos que circularam pelos corredores em busca de apoio à rejeição à proposta.
Mais cedo, o vice-líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP), disse que já havia uma tendência para incluir a PEC na pauta, para derrotar.
— O recado das ruas foi que a representação tem de ter sintonia com os representados, então temos de buscar essa sintonia — disse Duarte Nogueira. — A tendência é majoritária (agora) é para votar a PEC 37 ainda hoje para tentar derrubar.
Líderes do PT e do PP foram contra a votação, mas foram votos vencidos.
Henrique Alves se reuniu na manhã desta quarta-feira com líderes para definir a pauta de votação. Mais cedo, ele recebeu em sua residência oficial alguns líderes para discutir os projetos. Entre as propostas discutidas também estavam o projeto de divisão do royalties, que destina 100% dos royalties para Educação, e o Fundo de Participação dos Estados, que já foi aprovado no Senado.
A Câmara corre contra o tempo para dar uma resposta à sociedade. Segundo os líderes, a disposição é levar as votações noite a dentro nesta terça-feira. Como amanhã tem jogo entre Brasil e Uruguai, pela Copa das Confederações, o quórum deve ser esvaziado.
Confira os deputados que votaram a favor da PEC:
Abelardo Lupion (DEM-PR)
Mendonça Prado (DEM-SE)
Bernado Santana (PR-MG)
Valdemar Costa Neto (PR-SP)
Eliene Lima (PSD-MT)
João Lyra (PSD-AL)
João Campos (PSDB-GO)
Sérgio Guerra (PSDB-PE) - O deputado tucano disse, após a computação dos votos, que se confundiu na hora de votar e que queria escolher o "não".
Lourival Mendes (PTdoB-MA)
Fonte:  www.oglobo.com.br

terça-feira, 25 de junho de 2013

Governo do Estado não pagou pagou patrocínios da CDL

A CDL de Mossoró sofreu calotes do Governo do Estado relativos ao Líquida Mossoró.

Mais detalhes, logo mais.


Renan Calheiros sugeriu ainda que o governo federal reduza o número de ministérios


Presidente do Senado, Renan Calheiros preside reunião com líderes da Casa
Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

BRASÍLIA - Um dia depois de a presidente Dilma Rousseff propor um pacto para o país sem consultar o Congresso, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou, nesta terça-feira, uma pauta a ser votada pelo Senado nos próximos 15 dias, que inclui, por exemplo, utilizar recursos dos royalties do petróleo para financiar passe livre para estudantes no transporte público. Ele sugeriu ainda que o governo federal reduza o número de ministérios - atualmente são 39 - e invista esse dinheiro em saúde, educação e segurança pública. Renan disse ainda que irá apresentar uma proposta para implantar o passe livre para estudantes.
- Também somos favoráveis a qualquer decisão para reduzir o número de ministérios, para que recursos sejam direcionados para educação, saúde e segurança pública - afirmou Renan, em discurso no plenário do Senado.
VEJA TAMBÉM
Joaquim Barbosa defende voto distrital e vê 'grave crise' de representação
Rui Falcão discute com bancada saída para crise gerada com proposta de Dilma
Plebiscito agora ‘turbina a turbulência do país’, afirma cientista político
‘Considero a proposta de Dilma um primeiro passo, não o esgotamento da pauta’
‘Sem pé nem cabeça’, diz Serra sobre proposta de constituinte
Segundo Renan, o Senado só entrará em recesso depois que votar a pauta.
Depois de consultar líderes da base aliada e da oposição, Renan anunciou que o Senado incluirá dois pactos aos anunciados por Dilma: o da segurança pública e o pacto federativo, para que estados e municípios recuperem sua capacidade de investimento. A concentração de riquezas na União é uma crítica recorrente de governadores e prefeitos.
- Iremos ajudar ativamente a implementar os pactos apresentados pela presidente Dilma à nação.
Talvez não tenha havido tempo de consultar o Congresso, mas mesmo assim vamos cooperar.

www.oglobo.com

Ele é o cara!

Dilma recebe o ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal Foto: André Coelho / Agência O Globo

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, defendeu o voto distrital e o “recall” para políticos nesta terça-feira. A proposta é que os eleitores fiscalizem os atos dos eleitos para ocupar cargos públicos.

Caso as autoridades não estejam fazendo jus aos mandatos, a sociedade teria o direito de expulsar o político do cargo e eleger novo ocupante. O ministro deu a declaração em entrevista concedida após reunião com a presidente Dilma Rousseff, a quem sugeriu propostas para resolver o que chama de “crise grave de representação política” no país. Embora não tenha exposto o “recall” à presidente, ele aproveitou a ocasião para criticar os partidos políticos brasileiros.
- Não falei para a presidente, mas sou inteiramente favorável, acho que seria medida adequada à nossa realidade, adotar a possibilidade do recall.

O que é o recall? A pessoa é eleita, claramente identificada como eleita, havendo a possibilidade de o mandato ser revogado por quem a elegeu, ou seja, os próprios eleitores. Medida como essa tem o efeito muito claro de criar uma identificação entre o eleito e eleitorado, impor ao eleito responsabilidade para com quem o elegeu. (Isso) falta ao sistema político brasileiro, especialmente na representação dos órgãos legislativos - afirmou.

Para Barbosa, os partidos brasileiros devem participar menos da vida política, dando lugar à voz direta do povo. Nesse contexto, ele louvou a ideia do plebiscito aventada por Dilma. A presidente quer ouvir a sociedade sobre a convocação de uma Assembleia Constituinte para realizar a reforma política. O ministro evitou opinar sobre a necessidade ou não de Constituinte.- Disse (à presidente) que há um sentimento difuso na sociedade brasileira, e eu como cidadão penso assim, há uma vontade do povo brasileiro, especialmente os mais esclarecidos, de diminuir ou de mitigar, e não de suprimir, o peso da influência dos partidos sobre a vida política do país e sobre os cidadãos.

Essa me parece ser uma questão chave em tudo o que vem ocorrendo no Brasil hoje. Eu sei muito bem que nenhuma democracia vive sem partidos. Mas há formas de mitigar essa influência, de introduzir pitadas de vontade popular, de consulta direta à população - contou.
O ministro também teria dito à presidente que “não se faz reforma política consistente no Brasil sem mudar a Constituição”. Para ele, “está descartada reforma política consistente com lei ordinária”.

Fonre:  www.oglobo.com

A Câmara 'recusa' Constituinte para fazer reforma política, diz Alves


G1
Para presidente da Casa, isso retardaria ainda mais reforma na legislação. Ele anunciou grupo de trabalho e votação de propostas no 2º semestre.
O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, afirmou nesta terça-feira (25) que a Casa "recusa" a ideia de um processo constituinte com a finalidade específica de votar a reforma política.

Segundo ele, “em nenhum momento” os deputados pensaram em aceitar essa proposta, apresentada pela presidente Dilma Rousseff nesta segunda em reunião com os 27 governadores e os 26 prefeitos de capitais, convocadas em resposta às reivindicações surgidas nos protestos de rua que se espalham pelo país.

“Esta Casa não quer uma reforma política via Constituinte específica. Até porque retardaria mais ainda. Esta Casa tem o dever de debater sobre ela [reforma política], mas não via Constituinte específica. Em momento algum esta Casa pensou em aceitar”, afirmou.

Pau de Arara neles

Foto:  Magnos Alves
Estudantes de Mossoró nas ruas da cidade em mais um protesto.a

Depois de Álvaro Tito, Kzam Nery também grava participação em nosso segundo CD


Kzam Nery no programa Só Cristo Salva, da Rádio Difusora - Foto Karla Viegas 

O pastor-cantor Kzam Nery, grava nesta terça-feira, 25, participação especial em nosso segundo CD, que terá como título “Só Cristo Salva” - música que tem participação, também especial, cantor-compositor-arranjador Álvaro Tito.

Kzam Nery grava sua participação no GF Stúdio, do maestro Gideão Lima, que é o produtor e arranjador do CD "Só Cristo Salva".

Segue abaixo, a letra da música Santo Espírito, que terá participação de Kzam Nery:

SANTO ESPÍRITO!
I
ESPÍRITO, ESPÍRITO, ESPÍRITO
SANTO ESPÍRITO DE DEUS.
ENCHE O MEU SER, FAZ-ME REVIVER E EM TI VIVER
ENCHE O MEU SER, FAZ-ME REVIVER E EM TI VIVER
AH, ESPÍRITO, ESPÍRITO, SANTO ESPÍRITO.
II
ESPÍRITO, ESPÍRITO, ESPÍRITO
SANTO ESPÍRITO DE DEUS.
COMO EM PENTECOSTES, VEM E NOS TRANSFORMA E AO CÉU NOS TRANSFORMA
COMO EM PENTECOSTES, VEM E NOS TRANSFORMA E AO CÉU NOS TRANSPORTA
AH, ESPÍRITO, ESPÍRITO, SANTO ESPÍRITO
III
ESPÍRITO, ESPÍRITO, ESPÍRITO
SANTO ESPÍRITO DE DEUS.
FILHO SOU CONTIGO, EM CRISTO MEU FILHO E EM MEU SANTO ESPÍRITO
FILHA SOU CONTIGO, EM CRISTO MEU FILHO E EM MEU SANTO ESPÍRITO
AH, ESPÍRITO, ESPÍRITO, SANTO ESPÍRITO.

Obrigado Deus!
Só Cristo Salva!