sexta-feira, 28 de março de 2014

Ministério Público ainda não recebeu inquérito sobre Ruth Ciarlini em Mossoró

Irmã de Rosalba Ciarlini foi indiciada por desvios na saúde pública por meio do pagamento de plantões nunca dados

Por Ciro Marques

O Ministério Público do RN ainda não recebeu o inquérito feito pela Polícia Civil de Mossoró sobre o envolvimento da irmã da governadora Rosalba Ciarlini, Ruth Ciarlini, em um esquema de desvio de recursos por meio do pagamento de plantões que jamais foram dados no Hospital Tarcísio Maia.

Segundo a assessoria do MP, a matéria ainda não foi enviada. Quando isso acontecer, o caso será distribuído para uma das três promotorias do patrimônio público que, então, terá 15 dias para se posicionar sobre o caso, apoiando ou não a denúncia a Justiça.

A investigação foi conduzida por três delegados: Fábio Montanha (1ª Delegacia de Polícia de Mossoró), Nivaldo Floripes Batista (2ª DP), e José Vieira (Delegacia de Defraudações). Eles se basearam em documentos apreendidos no Tarcísio Maia em setembro do ano passado e, também, em depoimentos e escutas telefônicas feitas com a autorização da Justiça.

Vale lembrar que as investigações começaram em maio de 2013, quando a imprensa mossoroense começou a divulgar o pagamento de plantões de forma indevida a irmã de Rosalba Ciarlini. Ruth, lotada no Hemocentro do Tarcísio Maia, recebeu 12 plantões diurnos e mais quatro plantões extras, somando uma renda extra mensal em seu salário de R$ 3.164,38/mês.

Porém, esses plantões, segundo os depoimentos de testemunhas, jamais foram dados. A irmã da governadora teria recebido de forma indevida. Porém, não foi a única. Outros servidores, inclusive o diretor do Hospital Tarcísio Maia, também se beneficiaram com o suposto esquema. Ao todo, 13 pessoas foram indiciadas pelos policiais.

É importante ressaltar que a folha salarial da saúde é um dos principais obstáculos da gestão atual do Governo Rosalba. Tanto que a governadora chegou a instalar pontos eletrônicos em unidades médicas como forma de evitar pagamentos indevidos. Só não esperava que a própria irmã fosse uma das beneficiadas.

Fonte: www.portalnoar.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário