sexta-feira, 28 de março de 2014

O Rio Grande do Norte vai acompanhar hoje (28) o primeiro grande ato da campanha eleitoral.

Henrique Alves se lança ao Governo do Estado
Por: Diógenes Dantas 
O deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB) vai reunir em torno dele uma forte coligação partidária com o propósito de conquistar o comando do governo estadual.

Vai sobrar muito pouco para os adversários. Eu contei quase 20 partidos. Se a memória não me falha: Henrique vai juntar o PMDB ao PR, PSB, PROS, PSDB, PDT, PPS, PS (Solidariedade), PV, PMN, PSDC, PEN, PRP, PHS, PTC, PTN e PTB.

A coalizão de Henrique pode alcançar mais de 12 minutos na propaganda eleitoral do rádio e na TV durante a campanha. Um massacre!

O Novo Jornal estampa na manchete principal: "Coligação de Henrique nasce com 75% da Assembleia Legislativa". Um espanto!

Mas Henrique Eduardo Alves terá de disputar a eleição. O acordão, coalizão, coligação ou coisa que o valha não vai garantir o desejado W.O. Haverá disputa. E isso é bom para a democracia.

Henrique deverá enfrentar Robinson Faria, de quem considera ser um grande amigo. Henrique terá de enfrentar candidaturas de esquerda - PSOL e PSTU.

Hoje, no Hotel Praiamar, Henrique vai formalizar sua candidatura ao lado de João Maia, escolhido para ser o vice, e de Wilma de Faria, a candidata ao Senado.

Ao lado de Wilma, Henrique neutraliza sua mais temível adversária. Afinal, Wilma já foi algoz de Henrique em três oportunidades: nas eleições de Natal em 1988 e 1992, quando o peemedebista foi derrotado por Wilma e pelo grupo dela; e em 2002, quando ela própria foi candidata ao governo, afastando de Henrique a chance de chegar ao executivo estadual.

O presidente da Câmara dos Deputados faz valer o dito popular: "Se você não pode vencer o inimigo, então junte-se a ele".

Por enquanto, Wilma está sob controle.

Fonte: www.nominuto.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário