sexta-feira, 30 de maio de 2014

Caos na segurança: Sindasp-RN pede intervenção em presídios após agente morrer de meningite

Daniel Luz morreu por conta de meningite que provavelmente foi contraída no presídio Mário

O Sindicato dos Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte está solicitando uma intervenção de equipes da saúde em algumas unidades prisionais do Estado. Nesta semana, o agente penitenciário Daniel Luz morreu e, de acordo com sua família, a causa da morte foi atestada como meningite.

“Possivelmente, ele pegou a doença na penitenciária Mário Negócio, onde trabalhava, pois começou com uma gripe, depois uma infecção no ouvido, resultando em meningite. Agora, estamos solicitando que as autoridades da Secretaria Estadual de Saúde enviem equipes para aquela unidade, bem como para outras onde estão constatados riscos altos de doença de Chagas”, comenta Vilma Batista.

A presidente do SINDASP-RN ressalta que o caso de meningite do agente Daniel Luz coloca em risco outros agentes que trabalhavam com ele, bem como os próprios detentos. “Além disso, temos recebido constantemente relatos de encontro de barbeiros na unidade de Caraúbas e na própria penitenciária Mário Negócio, em Mossoró. Ou seja, o risco da contaminação da doença de Chagas é alto”, afirma.

Vilma Batista ressalta que esses problemas se agravam devido às estruturas precárias dos presídios do Rio Grande do Norte. Boa parte deles não dispõe de um sistema eficaz de esgoto e dejetos vazam para os pátios em áreas bem próximas ao convívio social dos servidores e dos presos.

“Essa é uma situação que precisa de urgência e de solução emergencial, pois estamos lidando com vidas. Infelizmente, perdemos o agente Daniel Luz e não queremos ver outros colegas mortos pela insalubridade do Sistema Penitenciário do Rio Grande do Norte”, completa Vilma Batista.

Ela frisa ainda que os agentes penitenciários lutam para construir um sistema penitenciário eficaz, mas que para isso também precisam ser valorizados e respeitados por parte do Governo do Estado.

5ª morte do ano

O Estado vive uma preocupação com a meninginte. No último dia 24, o estudante universitário André Donaldson Mendes, de 23 anos, morreu por conta da doença. A infecção era de Neisseria meningitides (meningococo), o caso mais grave de meningite.

A morte preocupou o Estado sobre essa doença e foi emitida nota pela Secretária do Estado de que 46 notificações casos de suspeitas de meningite foram registrados em 2014.

Fonte: www.defato.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário