sábado, 24 de maio de 2014

Ronaldo critica atrasos na Copa: 'Me sinto envergonhado'

Ex-jogador reclama dos problemas enfrentados pelo Brasil nos preparativos para a competição, mas afirma que o Mundial não deve ser alvo de protestos
Ronaldo no anúncio das sedes da Copa das Confederações de 2012, no Museu do Futebol, em São Paulo
Ronaldo no anúncio das sedes da Copa das Confederações de 2012, no Museu do Futebol, em São Paulo

"É uma pena. Eu me sinto envergonhado porque é o meu país, o país que eu amo. A gente não podia estar passando essa imagem", disse Ronaldo
Integrante do Comitê Organizador Local (COL) da Copa, Ronaldo disse estar envergonhado pelos atrasos e problemas enfrentados pelo Brasil às vésperas do início do Mundial. Em entrevista à agência Reuters na sexta-feira, o ex-jogador culpou os governantes pelos projetos que só ficaram no papel e defendeu que o torneio não é o "grande vilão" do país.


Leia também:
A um mês da Copa, seleção pode ganhar, mas Brasil perdeu
'Legado concreto da Copa vai aparecer em 2007', diz Valcke

Ronaldo acredita que as críticas feitas pela Fifa ao Brasil pelo não cumprimento de prazos são justas, já que o país sabia desde 2007 das exigências da entidade. “De repente chega aqui é essa burocracia toda, uma confusão, um disse me disse, são os atrasos. É uma pena. Eu me sinto envergonhado porque é o meu país, o país que eu amo. A gente não podia estar passando essa imagem”, lamentou.

Apesar dos atrasos, Ronaldo confia que todos os estádios estarão prontos para a Copa. O ex-jogador, no entanto, criticou os governantes do país, que ele apontou como responsáveis pelos problemas enfrentados nos preparativos para o torneio. “A Copa do Mundo é uma ferramenta que trouxe uma série de investimentos para o nosso país. Poderia ter sido perfeito, se fizessem tudo o que prometeram, mas isso não tem a ver com Copa do Mundo, tem a ver com os governos que prometeram e não cumpriram.”

Protestos – Para Ronaldo, a realização do torneio no Brasil não deveria ser alvo de protestos. Desde junho do ano passado, manifestantes criticam os gastos do país com a organização do Mundial. A possibilidade de protestos violentos durante a Copa é uma das maiores preocupações da Fifa e do governo. “As pessoas olham o Mundial como o grande vilão do nosso país e não é. A gente não pode esquecer que o nosso Brasil não era essa maravilha toda antes da Copa do Mundo. Era igual ou pior”, afirmou Ronaldo.

Fonte: www.veja.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário