sábado, 31 de maio de 2014

Ser secretário ou não ser...


Gustavo Rosado - Fotos: Karla Viegas 

To be or not to be, that's the question...

Eis que esta parte do verso citado pelo personagem principal de Hamlet, script de Shakespeare, parece estar sendo encarnada, por este dias, por um agente político da mossoroen (cidade).

Enquanto o clima de suspense é vivido por uns, que esperam permanecer no novo secretariado do prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior, PSD, e, igualmente, por outros, que sonham com um convite ao estrelato, ele (re)avalia.

O protagonista do dilema shakespeariano no proscênio político-partidário local, é o secretário municipal de Cultura, Gustavo Rosado.

Ao assumir a coerente e, igualmente, corajosa decisão de permanecer no secretariado municipal, em dezembro de 2013, quando o então prefeito em exercício, Francisco José Júnior, enfrentou uma onda de pedido de demissão em massa por parte de secretários municipais, em movimento orquestrado que tentou desestabilizar o então interino, Gustavo Rosado, também teve outra iniciativa não menos ousada.

Como conselheiro da ex-prefeita de Mossoró, Fafá Rosado e de seu marido, o deputado estadual, Leonardo Nogueira, optou por avalizar, apoiar e se engajar com seus familiares e amigos, na campanha de Francisco José Júnior.

Recordo, que Gustavo & cia... se postaram ao lado do prefeito Francisco José Júnior, desde o primeiro momento e, passando por períodos em que muitos se reportavam ao prefeito, de forma perjorativa e desrespeitosa como “o interino”.

Agora, depois de ter sido um dos artífices e colaboradores do projeto vitorioso que contribuiu e, decisivamente, para a histórica votação e eleição do prefeito Francisco José Júnior, Gustavo Rosado, protagoniza o filosófico questionamento: “Ser ou não ser, eis a questão”.

A despeito do reconhecimento, do compromisso e de reafirmados convites do prefeito Francisco José Júnior, para continuar protagonizando no primeiro escalão administrativo, Gustavo Rosado pode optar por sair de cena.

Por um tempo.

Ou não?

Ser ou não ser (secretário), eis a questão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário